Publicidade

Estado de Minas

Panamá considera arbitrária sua volta à lista de paraísos fiscais da UE


postado em 18/02/2020 18:31

O presidente panamenho, Laurentino Cortizo, considerou nesta terça-feira (18) arbitrária a decisão da União Europeia (UE) de voltar a incluir o Panamá em sua lista de paraísos fiscais.

A União Europeia (UE) reintroduziu nesta terça-feira o Panamá em sua lista negra por não cumprir os critérios mundiais de transparência fiscal, um revés para o país centro-americano em seu objetivo de mudar sua imagem de paraíso fiscal.

"Considero que isso é arbitrário", porque Panamá fez um "grande esforço" para aprovar leis contra a lavagem de dinheiro e a evasão fiscal, afirmou Cortizo.

"Nós queremos que nos avaliem pelo o que estamos fazendo, pelos resultados que estamos dando agora mesmo, pela cooperação que estamos tendo com esses países", enfatizou o presidente.

Além do Panamá, os ministros das Finanças da UE incluíram em sua lista negra o território britânico de ultramar das Ilhas Caimã, uma decisão interpretada como uma "advertência" para o Reino Unido pós-Brexit.


Publicidade