Publicidade

Estado de Minas

Cinco mortos e 20 desaparecidos em ataque a aldeia no Mali


postado em 18/02/2020 00:19

Pelo menos cinco civis morreram nesta segunda-feira (17) numa cidade no centro do Mali em um ataque realizado por homens armados que chegaram de motocicleta, segundo fontes locais.

"A aldeia de Guemeto-Terely, no município de Sangha, foi atacada entre as 17H00 e as 18H00 (hora local). O ataque durou quase duas horas e o saldo é de cinco mortos e cerca de vinte desaparecidos", disse à AFP um morador que pediu para permanecer anônimo.

"Os agressores, todos armados, estavam em cerca de 40 motocicletas. Eles queimaram celeiros, saquearam reservas de cereais, mataram cinco pessoas e roubaram gado", disse outro habitante.

Uma fonte de segurança disse que esta vila, localizada a cerca de 80 km da fronteira com Burkina Faso, foi "atacada", mas não deu um balanço das vítimas.

O prefeito de Sangha, Aly Dolo, acusou os membros da comunidade fulanis (também chamados de peuls).

"Eles queimaram alimentos, animais, cabanas e celeiros", disse Dolo à AFP.

Por enquanto, a autoria do ataque não pôde ser verificada.

Em outra área do centro do país, um pedágio na saída da cidade de Bla, foi "atacado por indivíduos armados que andavam de moto" também na segunda-feira, escreveu no Twitter o ministro da Comunicação, Yaya Sangaré, acrescentado que um policial foi morto e outro acabou ferido.

Desde 2015, esta região é palco de uma série de atos de violência e pelo aparecimento de um grupo jihadista afiliado ao Grupo de Apoio ao Islã e aos Muçulmanos (GSIM), chefiado pelo pregador étnico peul Amadou Koufa, que recrutou extensivamente em sua comunidade

Os peuls são em sua maioria criadores de gado e a etnia dogon praticam a agricultura.


Publicidade