Publicidade

Estado de Minas

Sequência de baixas em Congresso de celulares de Barcelona por medo do coronavírus


postado em 11/02/2020 16:31

Depois da Intel e da chinesa Vivo, as empresas americanas Facebook e Cisco anunciaram nesta terça-feira (11) que estarão ausentes do World Mobile Congress (MWC) em Barcelona, por temores ligados ao novo coronavírus, aumentando a incerteza sobre o evento.

Antes, outros grandes grupos como a sul-coreana LG, a sueca Ericsson, a americana Amazon e a japonesa Sony e NTT Docomo também cancelaram sua participação neste congresso no final de fevereiro, o grande salão do setor em que os fabricantes de telefones apresentam suas últimas novidades.

O MWC é mostrado como a primeira grande reunião internacional de comércio atualmente ameaçada pela epidemia.

"A celebração do Mobile World Congress (MWC) está na corda bamba após o incessante surgimento de baixas que estamos vendo todos os dias", disse Juan Carlos Higueras, professor da EAE Business School. "Se alguma empresa importante, como Samsung, Huawei ou as principais operadoras europeias (Telefónica, Vodafone, Orange, BT), anunciar sua retirada, haverá uma debandada previsível", acrescentou.

Segundo o jornal digital El Confidencial, as quatro principais operadoras europeus formaram um comitê de crise e estão estudando uma decisão conjunta.

"A segurança e o bem-estar de nossos funcionários e parceiros são nossa principal prioridade e nos retiramos desta edição do Mobile World Congress especialmente por precaução", disse a produtora de microprocessadores americana Intel em comunicado à AFP.

A Cisco, fabricante de equipamentos de telecomunicações sediada nos EUA, sediada no Vale do Silício, também anunciou que havia "tomado a difícil decisão" de deixar o Congresso para o novo coronavírus.

"Como precaução, os funcionários do Facebook não comparecerão ao Mobile World Congress este ano devido aos riscos à saúde pública do coronavírus", disse um porta-voz do Facebook (proprietário do Instagram e WhatsApp).

A chinesa Vivo, entre os cinco principais fabricantes de smartphones do mundo, também anunciou sua ausência na terça-feira.

"A saúde e a segurança de nossos funcionários e do público em geral são uma prioridade para nós", disse a Vivo, segundo grupo do gigante asiático a desistir de ir ao congresso depois da Umidigi na segunda-feira.


Publicidade