Publicidade

Estado de Minas

Guaidó pede unidade à diáspora venezuelana em Paris após reunião com Macron


postado em 24/01/2020 19:49

O líder da oposição venezuelana Juan Guaidó, presidente encarregado da Venezuela reconhecido por cinquenta países, convocou a diáspora venezuelana a permanecer unida e a levantar a voz nesta sexta-feira, depois de se encontrar com o presidente francês, Emmanuel Macron.

A reunião com o presidente francês, que ocorreu a portas fechadas e sem aparição ou comunicado subsequente, durou cerca de uma hora, segundo fontes próximas ao opositor venezuelano.

Sobre o encontro com Macron, Guaidó disse que foram discutidas questões da "agenda europeia" e a necessidade de "conter uma catástrofe potencial que hoje já é uma emergência humanitária sem precedentes na América Latina", referindo-se à Venezuela.

Macron tuitou à noite que "a França apoia a organização rápida de eleições presidenciais livres e transparentes".

Em turnê europeia, o político venezuelano visitou Londres, Bruxelas e Davos nesta semana, antes de ir para Paris. No sábado deve viajar para Madri, onde será recebido pela ministra das Relações Exteriores, Arancha González.

Na noite desta sexta-feira, Guaidó pediu que os venezuelanos residentes no exterior mantenham vivo o protesto e tentem combater a "frustração", enquanto algumas pesquisas refletem uma queda na sua popularidade pela impossibilidade de substituir Maduro.

Segundo o instituto venezuelano Datanálisis, a popularidade do líder da oposição caiu de 63% para 38,9% em 12 meses.

"Todos nós temos um papel nesta etapa da luta", disse Guaidó. "Precisamos de todos, literalmente", incluindo o exército.

Segundo dados das Nações Unidas, 4,6 milhões de venezuelanos deixaram o país desde o final de 2015, considerado o maior êxodo da região nas últimas décadas.


Publicidade