Publicidade

Estado de Minas

EUA rejeita pedido de extradição britânico envolvendo mulher de diplomata


postado em 24/01/2020 01:31

Os Estados Unidos rejeitaram um pedido da Grã-Bretanha para a extradição da mulher de um diplomata americano acusada de bater em uma moto e matar um jovem na Inglaterra, anunciou nesta sexta-feira o ministério britânico do Interior.

"O governo dos Estados Unidos rejeitou o pedido do Reino Unido", declarou um porta-voz do departamento americano de Estado.

"No momento do acidente e durante toda a sua permanência no Reino Unido, a motorista, uma cidadã americana, tinha imunidade", destacou o departamento em declaração transmitida à AFP.

"Se os Estados Unidos tivessem atendido ao pedido de extradição britânico, tornariam a invocação de imunidade diplomática em uma nulidade na prática e estabeleceriam um precedente muito problemático", acrescentou o departamento de Estado.

"Estamos decepcionados com esta decisão, que parece uma denegação da justiça", reagiu uma porta-voz do ministério britânico das Relações Exteriores. "Estamos examinando urgentemente nossas opções".

Harry Dunn, um britânico de 19 anos, morreu no dia 27 de agosto de 2019, no centro da Inglaterra, na colisão de sua moto com o carro dirigido por Anna Sacoolas, que não estava acostumada com a mão inglesa (pela esquerda).

Sacoolas, 42 anos, invocou imunidade diplomática e viajou para os Estados Unidos.

No final de dezembro, a mulher foi denunciada por direção perigosa que provocou óbito, e as autoridades britânicas iniciaram um processo de extradição junto ao departamento de Estado.


Publicidade