Publicidade

Estado de Minas

Emigrantes centro-americanos são impedidos de entrar no México e aguardam na Guatemala


postado em 21/01/2020 19:55

Centenas de emigrantes centro-americanos que tentavam chegar aos Estados Unidos em caravana estavam retidos nesta terça-feira no povoado guatemalteco de Tecún Umán, após serem contidos na véspera por militares mexicanos na fronteira.

"Estamos mal mas temos garra, porque não podemos nos render", disse à AFP a hondurenha Paola Gutiérrez, 25 anos, em um refúgio improvisado em Tecún Umán.

Segundo as autoridades migratórias guatemaltecas, na tarde desta terça-feira ao menos 1.200 integrantes da caravana se encontravam em Tecún Umán, a maioria hondurenhos.

Um grupo de cerca de 200 pessoas se reuniu na margem do rio Suchiate, entre Guatemala e México, para tentar cruzá-lo novamente, mas no final desistiram e retornaram ao albergue e a outros pontos de Tecún Umán, observou a AFP.

Paola revelou que tentarão cruzar o rio novamente.

Ao menos três mil hondurenhos saíram na noite da última terça-feira (14) em busca de emprego nos Estados Unidos, também com o objetivo de fugir da pobreza e da violência em suas comunidades. No entanto, os hondurenhos foram barrados por militares mexicanos na fronteira.

De acordo com comunicado do Instituto Nacional da Migração mexicano (INM), cerca de 500 hondurenhos conseguiram cruzar o território mexicano, mas 400 deles foram interceptados.

Já um pequeno grupo de 50 salvadorenhos que partiu na segunda-feira em direção aos Estados Unidos conseguiu cruzar a ponte entre Guatemala e México.

"Pedimos ao povo mexicano que nos dê permissão para passar (...). Não viemos prejudicar ninguém", assinalou Melvin Contreras, que carregava uma bandeira de El Salvador.


Publicidade