Publicidade

Estado de Minas

Acordo Macron-Trump para negociar tributo Gafa suspende sanções dos EUA


postado em 20/01/2020 23:31

Os presidentes da França e dos Estados Unidos, Emmanuel Macron e Donald Trump, respectivamente, concordaram em estender as discussões acerca do imposto sobre as gigantes digitais, o Gafa, até o fim do ano, informou nesta segunda-feira uma fonte diplomática de Paris.

A decisão adia, pelo menos por ora, a ameaça de sanções americanas a produtos franceses.

Os dois chefes de Estado "concordaram em dar uma chance" às negociações para "encontrar uma solução no âmbito internacional" e evitar "uma guerra comercial, que não beneficiaria ninguém", destacou a mesma fonte diplomática.

Em tuíte publicado na tarde desta segunda, Macron classificou como "excelente" uma conversa neste domingo com seu homólogo americano.

"Trabalharemos juntos para alcançar um bom acordo e, assim, evitar qualquer aumento das tarifas aduaneiras", acrescentou o inquilino do palácio do Eliseu.

Repercutindo estas declarações, a Casa Branca enfatizou que os dois chefes de Estado estão convencidos de que é "importante realizar negociações exitosas" sobre este tema.

Em 7 de janeiro, Estados Unidos e França se deram 15 dias de prazo para alcançar um acordo e permitir que a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) continue a avançar para a instauração de um tributo internacional sobre os gigantes do setor digital, inclusive os Gafa (acrônimo de Google, Amazon, Facebook e Apple).

O ministro francês da Economia, Bruno Le Maire, se reunirá nesta quarta-feira em Davos com seu equivalente americano, Steven Mnuchin, para falar dos detalhes das discussões no âmbito da OCDE.

"A França persiste em seu objetivo de uma tributação justa sobre as empresas do setor digital e de encontrar um compromisso no marco da OCDE", lembrou nesta segunda-feira a Presidência francesa. Paris afirmou que eliminaria seu imposto se for alcançado um acordo internacional.

A França decidiu impor, a partir de 1 de janeiro de 2019, um imposto de 3% sobre o faturamento das grandes empresas do setor digital, à espera de um sistema de fiscalização internacional.

Há um ano, os Estados Unidos retomaram as negociações sobre este tema na OCDE, mas em dezembro defenderam condições que a França rejeitou.

Depois disso, o governo Trump ameaçou sobretaxa "em até 100%" o equivalente de 2,4 bilhões de dólares de produtos franceses.


Publicidade