Publicidade

Estado de Minas

Julgamento de Trump no Congresso deve começar na terça-feira


postado em 14/01/2020 21:43

É provável que a última etapa do processo de impeachment do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comece dentro de sete dias, e os principais envolvidos poderão prestar depoimento nesta semana, disse o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell.

Em votação histórica, a Câmara dos Deputados, onde os democratas são maioria, aprovou no último dia 18 de dezembro duas justificativas para aprovar o impeachment: "abuso de poder" e "obstrução do bom funcionamento do Congresso".

A líder da Câmara de Representantes, a democrata Nancy Pelosi, retardou desde então a transmissão da acusação ao Senado na tentativa de garantir um julgamento parcial na Câmara Alta, controlada pelos republicanos.

Finalmente, nesta terça-feira Pelosi anunciou que votará amanhã o envio das acusações ao Senado.

McConnell disse esperar que a Câmara dos Representantes envie as acusações para o julgamento político ao Senado nesta quarta.

"Acreditamos que, se isso acontecer, muito provavelmente, daremos os passos preliminares dessa semana, que podem incluir que o presidente do tribunal venha e juramente aos membros do Senado e algum outro tipo de medida de ordem preparatória", disse McConnell a jornalistas.

"Esperamos conseguir isso por consenso, o que nos prepararia para começar o julgamento real na próxima terça-feira", acrescentou McConnell.

A congressista pela Califórnia, se reuniu pela manhã a portas fechadas com membros de sua maioria para fixar as modalidades e o calendário do procedimento.

A resolução também deve definir que membros da Câmara desempenharão o papel de procuradores durante o julgamento do presidente republicano, acusado de abuso de poder para convencer a Ucrânia de desprestigiar um de seus rivais políticos e depois de ter obstruído a investigação do Congresso.

Em comunicado, a líder democrata ressaltou que "o povo americano merece a verdade, e a Constituição exige um julgamento".

O líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, que não esconde sua intenção de buscar a absolvição de Trump, disse estar pronto para agir rapidamente, logo que a Câmara autorizar.

"A Câmara causou dano suficiente. O Senado está pronto para assumir suas responsabilidades", disse ele ontem, na Câmara alta.

- Julgamento -

Segundo as regras do Senado, o julgamento começará quando a equipe de representantes da Câmara cruzar os corredores do Capitólio para se somar ao Senado e ler as acusações contra Trump.

Depois, o presidente da Suprema Corte dos Estados Unidos, John Roberts, constitucionalmente responsável por supervisionar os debates, vai jurar ser "imparcial" diante dos 100 senadores - ao mesmo tempo juízes e jurados do processo.

Com apenas 47 das 100 cadeiras do Senado, os democratas sabem que são mínimas as chances de conseguirem afastar Trump. Para isso, é necessária uma maioria de dois terços.

Ainda assim, esperam entregar à Casa informações constrangedoras sobre o presidente dos Estados Unidos.


Publicidade