Publicidade

Estado de Minas

Tufão Phanfone atinge as Filipinas


postado em 25/12/2019 08:55

O tufão Phanfone atingiu nesta quarta-feira o centro das Filipinas, estragando o Natal de milhões de habitantes deste arquipélago majoritariamente católico, sem causar vítimas.

Dezenas de milhares de filipinos passaram este importante período de festas presos em suas casas, bloqueados em portos ou em abrigos.

Phanfone atingiu a Ilha Samar na terça-feira à noite antes de varrer o arquipélago e seguir para o oeste.

Nenhuma vítima foi registrada, mas as equipes de resgate disseram que ainda não chegaram às áreas mais remotas, algumas das quais com importantes inundações.

O tufão causou danos extensos, destruindo casas, causando a queda de árvores e mergulhando na escuridão muitas cidades.

Mais de 16.000 pessoas se refugiaram em escolas, ginásios e prédios públicos, onde passaram a noite de terça a quarta-feira, segundo a Defesa Civil.

Embora menos poderoso, Phanfone segue a mesma trajetória que o tufão Haiyan, o mais devastador registrado no país, que matou mais de 7.300 pessoas em 2013.

"Foi assustador. As vidraças quebraram e nos abrigamos nas escadas", contou à AFP Ailyn Metran, que passou a noite com seu filho de quatro anos no escritório meteorológico onde trabalha o marido.

- Casas destruídas -

O chão de sua casa em Tacloban (centro) estava coberto de lama e uma árvore caiu no telhado de uma casa vizinha.

O serviço meteorológico disse que o tufão se fortaleceu um pouco durante a madrugada, com rajadas de vento de até 195 km/h.

Os moradores postaram fotos nas redes sociais de casas destruídas, ônibus semi-submersos, estradas bloqueadas por troncos de árvores e bananeiras e coqueiros dilacerados por ventos fortes.

O tufão atingiu o arquipélago na véspera de Natal, quando as famílias católicas filipinas se reuniam para celebrar a "noche buena" (boa noite) durante um jantar suntuoso.

Mais de 25.000 pessoas continuavam presas nos portos nesta quarta-feira devido à interrupção das conexões de balsa, segundo a Guarda Costeira.

Muitos voos também foram cancelados, embora Manila (norte) tenha sido poupada.

Durante a madrugada, Phanfone devastou o norte da ilha de Cebu, no centro do país.

Voltando para suas casas depois de passar a noite em um abrigo, os moradores constatavam os danos.

"Eles estavam mais seguros nos centros de evacuação. Pelo menos puderam comer a ceia de Natal lá, mesmo que houvesse apenas peixe enlatado e macarrão instantâneo", disse Cabaron.

"Mas mesmo com a comida na mesa, a atmosfera era diferente porque não estavam em casa", reconheceu.

Na ilha de Coron (oeste), muito popular entre os turistas, as praias estão desertas e os passeios de barco foram suspensos.

Os turistas estão enclausurados em seus quartos enquanto aguardam o tufão na quinta-feira.

"Muitos estabelecimentos turísticos estão fechados e alguns de nossos clientes não chegaram porque seus voos foram cancelados", disse a recepcionista de um hotel, Nina Edano.

"Não temos medo, mas a atmosfera aqui é bastante sombria", acrescentou.

Em média, cerca de vinte tufões e tempestades tropicais varrem as Filipinas a cada ano, causando centenas de mortes. Em meados de dezembro, uma violenta tempestade tropical que varreu o norte do país deixou 13 pessoas mortas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade