Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas RECIFE

Deslizamento de barranco mata 5

Entre as vítimas está um bebê de 2 meses. Duas pessoas que visitavam moradores ainda estavam desaparecidas


postado em 25/12/2019 04:00 / atualizado em 24/12/2019 12:18

Seis equipes foram mobilizadas para o trabalho de resgate às vítimas (foto: Mariana Fabrício/DP)
Seis equipes foram mobilizadas para o trabalho de resgate às vítimas (foto: Mariana Fabrício/DP)

Recife – Cinco pessoas morreram na madrugada de ontem, após o deslizamento de um barranco no Bairro Dois Unidos, Zona Norte do Recife. Entre as vítimas está um bebê de 2 meses e uma criança de 9 anos. Três pessoas ficaram feridas e foram levadas para o Hospital da Restauração. Outras duas pessoas, que visitavam moradores no momento do acidente ainda estavam desaparecidas até a tarde de ontem. Equipes dos Bombeiros fazem buscas nos destroços.

O deslizamento ocorreu por volta das 2h. Duas casas foram atingidas. Seis equipes, sendo duas de busca e salvamento, uma de busca com cachorros, uma de comando operacional e duas de resgate, além de equipes da Defesa Civil do Recife, foram enviadas ao local. Uma das casas foi totalmente destruída e a outra ficou parcialmente danificada.

Em nota, a Prefeitura do Recife afirma que se solidariza com os parentes das vítimas e com toda a comunidade e informa que, desde a madrugada, presta todo o apoio à Companhia Pernambucana de Saneamento S.A. (Compesa)  para que seja garantida assistência aos familiares das vítimas e moradores da área.

Erivaldo Barbosa, de 40 anos, motorista de aplicativo e morador há 20 anos da localidade, conta que, em julho de 2000, outro deslizamento foi registrado em decorrência de danos do mesmo cano da Compesa. “Aquele mesmo caninho estourou no meio da outra vez. O mesmo cano. Não ficou um tijolo em pé das duas casas. A prefeitura pagava o auxílio-moradia e depois construiu a casa e a gente voltou a morar lá. Todas as casas aqui são de parentes. Meu sogro entrou com uma ação na Justiça contra a Compesa”, relata Erivaldo.

Aprígio Trajano, analista de saneamento da Compesa, afirma que não houve relato de vazamentos na área e a localidade é mensalmente acompanhada pela empresa. Ele explica ainda que a tubulação está em um local não visível, dificultando a investigação.  “A Compesa foi acionada às 3h30 e mobilizamos a nossa equipe. Não temos nenhum registro de vazamento nesta área”, informou Trajano.

Rafael Urbano, presidente da associação dos moradores, afirma não haver sinais de encharcamento na barreira ou algum tipo de vazamento. Ele relata ainda que o fornecimento de água começou na segunda-feira à noite, por volta das 18h, e estava previsto para finalizar ontem, às 15h. “A gente tem um canal direto com a Compesa. Todo vazamento que tem no bairro, informamos rapidamente e eles sanam esse problema”, afirma Urbano.

As vítimas

Lucimar Alves, 50 anos
Emanuel Henrique de França, 25 anos
Erika Virgínia, 19 anos
Daffyne Kauane Alves, 9 anos
Erick Henrique, 2 meses


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade