Publicidade

Estado de Minas

África do Sul concede liberdade condicional ao rei do clã de Mandela


postado em 23/12/2019 09:31

O rei tradicional do grupo étnico Thembu, do qual Nelson Mandela pertencia, se beneficiou nesta segunda-feira de liberdade condicional, como parte de uma redução da pena acordada pelo presidente sul-africano Cyril Ramaphosa a mais de 14.600 prisioneiros, anunciou o Ministério da Justiça.

Buleekhaya Dalindyebo, de 55 anos, é o rei dos Thembu, um grupo étnico Xhosa do qual o primeiro presidente negro da África do Sul era membro.

Dalindyebo, preso desde 2015, cumpria pena de 12 anos de prisão no centro penitenciário de East London, no sudoeste do país, por um incêndio criminoso, sequestro e agressão a alguns de seus súditos.

"A pena do rei Dalindyebo foi reduzida em 12 meses", disse à AFP o porta-voz do Ministério da Justiça Chrispin Phiri. "Além disso, ele já havia recebido liberdade condicional desde outubro".

Em 2009, o rei foi condenado a 15 anos de prisão por homicídio involuntário, incêndio criminal e agressão por infrações cometidas mais de duas décadas antes. Mas em outubro de 2015, a Suprema Corte abandonou a acusação de homicídio involuntário e reduziu sua sentença para 12 anos em apelação.

Os reis não têm poder oficial na África do Sul hoje, mas milhões de pessoas permanecem leais a eles. Eles são reconhecidos na Constituição como chefes tradicionais e recebem fundos do governo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade