Publicidade

Estado de Minas

Alemanha adota ambicioso plano sobre o clima após duras negociações


postado em 20/12/2019 09:25

O Parlamento alemão aprovou nesta sexta-feira uma lei sobre o clima, um dos principais compromissos da coalizão liderada por Angela Merkel para acelerar a redução de emissões poluente, sob a pressão de grandes manifestações.

O Bundesrat, a Câmara Alta do Parlamento, votou o compromisso negociado durante a semana com a Câmara Baixa sobre medidas que afetarão tanto os transportes como a construção ou a agricultura.

Também votou a criação de um mercado alemão de carbono em 2021.

O objetivo é reduzir em 55% as emissões de gases do efeito estufa da Alemanha até 2030 na comparação com o nível de 1990. Um trabalho colossal para um país que não conseguirá cumprir os climáticos em 2020.

A lei entrará em vigor em janeiro e incluirá uma redução imediata dos impostos sobre as passagens trens de longa distância, assim como um incentivo fiscal para o isolamento energético dos edifícios e diversos subsídios para o desenvolvimento de veículos elétricos.

Outras medidas serão adicionadas nos próximos anos e, no total, o governo se compromete a gastar 54 bilhões de euros até 2023, acelerando ao mesmo tempo os investimentos até 2030 para a renovação da rede ferroviária.

O projeto - mais ambicioso da coalizão governamental formada em 2018 entre conservadores e social-democratas - foi negociado durante meses antes de ser apresentado em setembro.

A principal mudança do Bundesrat, que representa os estados regionais, se refere à introdução em 2021 de um preço nacional da tonelada de carbono. As cotas de CO2 serão negociadas por um mínimo de 25 euros, contra um preço inicial de 10 euros.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade