Publicidade

Estado de Minas

Tiroteio em Moscou termina com um morto, feridos e atirador 'neutralizado'


postado em 19/12/2019 16:25

Um agente dos serviços secretos russos (FSB) morreu, e cinco pessoas ficaram feridas, por disparos de um homem já "neutralizado", perto da sede desta instituição, em Moscou - anunciaram autoridades locais.

"Um desconhecido abriu fogo perto do número 12 da rua Bolchaia Lubianka. Há feridos. Sua identificação está em curso. O criminoso foi neutralizado", informou o FSB, citado por agências de notícias russas.

"Um agente do serviço morreu" no ataque, disse a mesma fonte, enquanto o Ministério da Saúde relatou que há cinco feridos.

Pouco depois do ataque, começaram a circular nas redes sociais vídeos, que mostravam policiais armados correndo perto do edifício. Em um deles, postado na conta do Twitter do site de notícias on-line slow.ru, é possível ouvir os tiros perto do famoso prédio.

Em outra gravação, publicada por sites de notícias e filmada do que parece ser a janela de um café, vê-se policiais armados, que passam agachados.

A imprensa local informou que o agressor não conseguiu entrar na sede do FSB.

Segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, citado pela Tass, o presidente russo, Vladimir Putin, foi informado da situação.

Jornalistas da AFP próximos ao local ouviram tiros por volta das 19h15 (14h15 em Brasília), e as forças da ordem pediram à imprensa e aos curiosos para se afastarem.

O bairro foi cercado pela polícia, enquanto várias ambulâncias eram enviadas para a área do ataque.

O episódio aconteceu algumas horas depois da grande entrevista coletiva anual concedida por Putin. Segundo a agência de notícias RIA Novosti, ele participava, na sequência, de uma cerimônia em homenagem às forças de segurança.

A troca de tiros foi nesta quinta-feira à noite, perto do quartel-general do FSB, o serviço federal de segurança. O prédio fica no centro de Moscou, a alguns minutos a pé da Praça Vermelha e do Kremlin, sede da Presidência.

Ex-agente da então KGB soviética, Putin dirigiu o FSB entre 1998 e 1999 e tinha seu gabinete neste prédio.

Ouvido pela AFP, Andrei Molchanov contou que testemunhou vários disparos.

"Não consegui contar quantos. Provavelmente, eram de uma arma automática", afirmou.

"Vi um agente, estirado no chão e que parecia morto", completou.

As autoridades abriram uma investigação por "atentado contra a vida de um agente das forças da ordem", de acordo com o Comitê russo de Investigação, que assume os trâmites no caso dos crimes mais graves.

Ao cair da noite, o trânsito foi parcialmente liberado nos arredores da sede do FSB.

Nos anos 2000, a Rússia foi palco de vários atentados, ligados à guerra da Chechênia contra os separatistas e, na sequência, à rebelião islamista no Cáucaso do Norte.

Em 2010, um duplo atentado suicida aconteceu no metrô de Moscou. Uma das explosões ocorreu na estação de metrô Lubianka, próximo à sede da FSB.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade