Publicidade

Estado de Minas

Irlanda do Norte inicia novo diálogo para romper bloqueio político


postado em 16/12/2019 12:07

Após a vitória conservadora nas eleições do Reino Unido, sindicalistas e republicanos da Irlanda do Norte retornam à mesa de negociações nesta segunda-feira para tentar acabar com o bloqueio político que privou esta província britânica de governo por quase três anos.

O governo deve ser compartilhado entre os sindicalistas do DUP e os republicanos do Sinn Fein, conforme estipulado no Acordo de Paz de Sexta-feira Santa, que pôs fim em 1998 a trinta anos de violência interreligiosa na região.

A Irlanda do Norte não tem governo desde que a coalizão fraturou em janeiro de 2017, após um escândalo político-financeiro.

As diferentes rodadas de negociações não superaram o bloqueio, mas as eleições de quinta-feira no Reino Unido mudaram o contexto político e a correlação de forças, dando um novo impulso às discussões planejadas para esta segunda-feira.

A aliança DUP de 2017 com o Partido Conservador da então primeira-ministra Theresa May, que não tinha maioria no parlamento britânico, não facilitou o acordo.

A formação sindicalista concentrou-se em Westminster, influenciando bastante as negociações do Brexit.

Também bloqueou os dois acordos sucessivos de saída da União Europeia (UE), opondo-se às modalidades que tentavam evitar o estabelecimento de uma fronteira física entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda, membro da UE.

- Nova correlação de forças -

As eleições legislativas de quinta-feira mudaram completamente o cenário. A esmagadora vitória do primeiro-ministro conservador Boris Johnson o liberta de qualquer aliança para realizar o Brexit em 31 de janeiro.

"O único aspecto positivo da vitória de Boris Johnson é a possibilidade de o DUP deixar de ficar obcecado com o melodrama que ocorre em Westminster e, finalmente, concentrar sua atenção no que está acontecendo aqui", disse a líder do Sinn Fein, Mary Lou McDonald, à televisão irlandesa.

Pela primeira vez, a província escolheu para o Parlamento britânico mais deputados republicanos em favor de uma reunificação com a Irlanda do que sindicalistas.

"Recebemos a mensagem daqueles que decidiram não nos apoiar", tuitou Arlene Foster, chefe do DUP, que perdeu duas cadeiras nas legislativas.

"Eu sei que eles querem que a Irlanda do Norte avance com um novo governo. Retomaremos as negociações a esse respeito na segunda-feira".

A nova correlação de forças em nível nacional "incentivará o DUP a chegar a um acordo com Sinn Fein" para formar uma nova coalizão governamental, confirma o cientista político Jamie Pow, da Queen's University Belfast.

Segundo ele, os sindicalistas terão que "mostrar aos eleitores" que podem resolver esse problema se quiserem "permanecer considerados competentes".


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade