Publicidade

Estado de Minas

Homem que ameaçava policiais com faca é morto perto de Paris


postado em 13/12/2019 09:07

Um homem que ameaça policiais com uma faca foi morto a tiros na manhã desta sexta-feira no distrito financeiro de La Défense, perto de Paris, informaram as autoridades.

O agressor, cuja identidade ainda não foi revelada, foi atingido no peito e na coxa, segundo fontes policiais. A Procuradoria de Nanterre (noroeste da Paris) confirmou sua morte. Nenhum policial ficou ferido.

"Intervenção em curso da força policial. Um homem que ameaçava policiais com uma faca foi neutralizado por agentes da polícia. Evite o setor", declarou na parte da manhã a polícia.

Segundo uma fonte policial, o homem com a faca se aproximou dos policiais por volta das 10H20 (6h00 no horário de Brasília).

Os policiais usaram suas armas pelo menos cinco vezes, disse a fonte.

O incidente ocorreu num subsolo no movimentado distrito de La Defense, a oeste da capital francesa, de acordo com um jornalista da AFP no local.

Segundo as primeiras constatações, o homem tinha cerca de trinta anos e não portava documentos.

Nos últimos anos, vários ataques ou tentativas de ataque tiveram como alvo as forças de ordem na França.

No início de outubro, um agente administrativo que trabalhava na sede da polícia de Paris, Mickaël Harpon, matou quatro de seus colegas dentro da prestigiada instituição, antes de ser abatido.

A investigação deste caso, confiada ao órgão antiterrorista, não foi capaz de determinar oficialmente os motivos que levaram o agente, suspeito de radicalização, a cometer o crime.

Em mais de quatro anos, uma onda de ataques sem precedentes deixou 255 mortos, incluindo os da sede da polícia.

A França é particularmente visada por fazer parte da coalizão militar internacional que atuou na Síria e no Iraque contra o grupo jihadista Estado Islâmico (EI), cujo líder Abu Bakr al-Baghdadi foi morto no final de outubro em uma operação americana.

O "califado" territorial foi desmanchado após a queda do último reduto da organização ultrarradical no leste da Síria, mas o EI permanece ativo em várias partes do mundo.


Publicidade