Publicidade

Estado de Minas

Intensa busca por avião militar chileno que sumiu a caminho da Antártica


postado em 10/12/2019 18:31

Aviões e barcos de resgate de vários países procuravam nesta terça-feira (10) uma aeronave da Força Aérea do Chile (FACH) que desapareceu na véspera com 38 pessoas a bordo quando seguia para a Antártica.

"Estamos fazendo todos os esforços humanamente possíveis para poder encontrá-los, apesar de que as condições são extremamente difíceis", afirmou nesta terça-feira o presidente Sebastián Piñera, que devido à emergência suspendeu uma viagem que tinha prevista a Buenos Aires para assistir à posse de Alberto Fernández.

O avião Hércules C-130 decolou às 16H55 de segunda-feira da base Chabunco da FACH em Punta Arenas (3016 km ao sul de Santiago, no extremo sul do Chile), rumo à base Eduardo Frei na Antártica e perdeu comunicação por rádio às 18H13.

O avião foi declarado "sinistrado" sete horas após o incidente, informou a FACH, que indicou que o C-130 tinha combustível para permanecer no ar até 00H40 de terça-feira.

"Uma amerissagem é possível", afirmou Eduardo Mosqueira, comandante da IV Brigada Aérea em Punta Arenas.

No boletim divulgado nesta terça-feira, a FACH informa que os "trabalhos de busca foram intensificados", com a ajuda de 13 aviões, incluindo duas aeronaves C-130 da Força Aérea do Uruguai e da Argentina, dois navios mercantes e dois da Marinha do Chile.

Às tarefas de busca se somam, além disso, dois aviões da força aérea do Brasil e um barco polar da Marinha do país, após uma oferta de ajuda do presidente Jair Bolsonaro.

"Acabo de falar com o presidente @jairbolsonaro, que nos ofereceu toda a ajuda do Brasil nas tarefas de busca do avião da @FACh_Chile. Com a ajuda de muitos estamos fazendo todos os esforços humanamente possíveis nas tarefas de busca do avião", disse Piñera em sua conta do Twitter.

A bordo do C-130 Hércules viajavam 38 pessoas - 17 tripulantes da aeronave e 21 passageiros -, incluindo 15 oficiais da FACH, três do Exército, dois funcionários da empresa privada de construção Inproser e um funcionário da Universidade de Magallanes.

As pessoas viajavam para cumprir tarefas de apoio logístico na base Eduardo Frei, a maior do Chile na Antártica: a revisão do oleoduto flutuante de abastecimento de combustível da base e o tratamento anticorrosivo das instalações.

Parentes das pessoas a bordo seguiram para a base área Los Cerrillos, na região metropolitana de Santiago, aguardar notícias da busca.

- Condições climáticas boas -

A aeronave perdeu comunicação quando sobrevoava o mar de mar de Drake, uma passagem marítima entre o continente americano e a Antártica, considerado pelos marinheiros como a mais tempestuosa do planeta.

"As condições meteorológicas para voar eram boas, por isto o voo foi planejado", disse Francisco Torres, diretor de operações da FACH.

A operação de busca "a fim de resgatar possíveis sobreviventes" se concentra dentro do raio de 60 milhas a partir da zona onde foi perdido o contato com a aeronave.

O avião tem sistema ELT que indica sua posição por satélite, mas durante a madrugada o dispositivo não permitiu localizar a aeronave.

O último acidente com essas características no Chile ocorreu em setembro de 2011, quando um avião militar com 21 pessoas a bordo caiu perto da ilha Robinson Crusoe, no meio do oceano Pacífico, a cerca de 700 km do continente. Na aeronave viajava uma equipe de televisão, incluindo o famoso apresentador local Felipe Camiroaga.


Publicidade