Publicidade

Estado de Minas

Coreia do Norte realiza 'teste muito importante' em base de lançamento


postado em 08/12/2019 13:19

A Coreia do Norte anunciou neste domingo (8) que realizou um "teste muito importante" em sua base de lançamento de satélites em Sohae, um ato cujos detalhes são desconhecidos, mas que seria um sinal do fracasso das negociações de Pyongyang e Washington.

As informações foram divulgadas pela agência oficial de notícias KCNA, que não forneceu nenhuma precisão sobre o dispositivo, ou a arma testada.

Após o anúncio dos novos testes de Pyongyang, o presidente americano, Donald Trump, reagiu e alertou que a Coreia do norte tem "tudo" a perder com sua hostilidade em relação aos Estados Unidos.

"Kim Jong-un é muito esperto e tem bastante a perder, tudo na verdade, se continuar agindo dessa maneira hostil", Trump tuitou em resposta ao teste de Sohae.

"Ele assinou um importante acordo de desnuclearização comigo em Singapura", continuou Trump. "Ele não quer anular seu relacionamento especial com o presidente dos Estados Unidos, ou interferir nas eleições presidenciais dos EUA em novembro", completou.

No sábado, Trump comemorou, em declarações à imprensa em Washington, seu "muito bom relacionamento" com o líder norte-coreano, Kim Jong-un.

"Acho que queremos que as coisas continuem como estão. Ele sabe que tenho eleições em breve", afirmou, dizendo ainda que ficaria "surpreso se a Coreia do Norte agisse de maneira hostil".

Localizada na costa noroeste da Coreia do Norte, a base de Sohae, também conhecida pelo nome de TongChang-ri, estava no centro das discussões diplomáticas de três vias, das quais participaram Pyongyang, Seul e Washington, há mais de um ano.

- Rápida reconstrução -

Durante uma cúpula organizada em Seul, em setembro de 2018, o líder Kim Jong-un prometeu fechar a instalação de Sohae.

Os avanços em direção à "desnuclearização" da península coreana não duraram muito, porém. Em março, os satélites detectaram alguns trabalhos que estavam sendo realizados nessa base para uma "rápida reconstrução".

Outras imagens tiradas na última quinta-feira mostraram um grande recipiente que parecia "um indício mais ou menos confiável dos preparativos para um teste de artefatos", de acordo com Jeffrey Lewis, especialista em armas nucleares do leste da Ásia no Instituto Middlebury em Monterrey (Califórnia,oeste dos EUA).

Pyongyang quer que Washington apresente uma proposta para retomar as negociações de paz antes de 31 de dezembro.

No sábado, contudo, duas declarações confirmaram que a tensão está aumentando.

"A situação atual na península coreana é grave", consideraram os presidentes dos EUA e da Coreia do Sul (Moon Jae-in), em uma conversa por telefone, segundo a imprensa sul-coreana.

Além disso, o embaixador norte-coreano nas Nações Unidas, Kim Song, afirmou que "a questão da desnuclearização já não está mais sobre a mesa de negociações".


Publicidade