Publicidade

Estado de Minas

EUA e Irã entram em acordo para troca de prisioneiros

Xiyue Wang, pesquisador sino-americano de Princeton (EUA), foi preso e sentenciado a 10 anos de prisão por espionagem


postado em 07/12/2019 11:57 / atualizado em 07/12/2019 16:09

Foto divulgada pela Universidade de Princeton mostra Xiyue Wang com sua esposa e filho antes de ser detido no Irã em agosto de 2016(foto: Hua Qu / Universidade de Princeton / AFP)
Foto divulgada pela Universidade de Princeton mostra Xiyue Wang com sua esposa e filho antes de ser detido no Irã em agosto de 2016 (foto: Hua Qu / Universidade de Princeton / AFP)

Os governos dos Estados Unidos e do Irã entraram em acordo neste sábado para uma troca de prisioneiros que levou a libertação do pesquisador norte-americano de origem chinesa Xiyue Wang e do cientista iraniano Massoud Soleimani. Segundo o ministro de Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif, o país concordou em libertar Wang, detido pelos iranianos em agosto de 2016, em troca de Soleimani, especialista em células-tronco da Universidade de Teerã preso nos EUA desde o ano passado acusado de descumprir sanções.

O Representante Especial dos EUA para o Irã, Brian Hook, recebe Xiyue Wang na chegada à Suíça após sua libertação do Irã (foto: Departamento de Estado dos EUA/AFP )
O Representante Especial dos EUA para o Irã, Brian Hook, recebe Xiyue Wang na chegada à Suíça após sua libertação do Irã (foto: Departamento de Estado dos EUA/AFP )

O presidente norte-americano, Donald Trump, confirmou a libertação de Wang neste sábado. "Após mais de três anos detido no Irã, Xiyue Wang está retornando aos EUA", disse Trump em comunicado, sem mencionar a troca de prisioneiros. "Agradecemos aos nossos parceiros suíços por sua assistência nas negociações com o Irã para a libertação de Wang", acrescentou.

A Embaixada da Suíça em Teerã representa os interesses dos EUA no país, visto que a representação diplomática norte-americana na cidade foi fechada em novembro de 1979, após ser tomada por estudantes islâmicos. O grupo manteve os funcionários como reféns, em uma crise que se prolongou por 444 dias.

Zarif, no entanto, afirmou em sua conta oficial no Twitter que Soleimani está retornando ao seu país. "Contente que o professor Massoud Soleimani e o senhor Xiyue Wang estarão com suas famílias em breve. Muito obrigada a todos os envolvidos, em particular ao governo suíço", escreveu Zarif. Junto ao texto, o ministro postou fotos sentado ao lado de Soleimani no avião.

Ministro de Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif, conversa com o cientista Massud Soleimani a bordo de avião(foto: Javad Zarif/ Twitter)
Ministro de Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif, conversa com o cientista Massud Soleimani a bordo de avião (foto: Javad Zarif/ Twitter)

Wang, pesquisador sino-americano de Princeton (EUA), foi preso e sentenciado a 10 anos de prisão por espionagem. A libertação do prisioneiro representa uma rara abertura diplomática entre Washington e Teerã, em meio a crescente tensão entre os dois países.

A atual crise teve início em maio de 2018, quando Trump decidiu deixar o acordo sobre o programa nuclear iraniano, que era validado pelo Conselho de Segurança da ONU. Desde então, os EUA têm imposto duras sanções sobre a economia iraniana e atribuído ao país a responsabilidade por diversos ataques ocorridos em todo o Oriente Médio.

Em setembro, Zarif já havia dito em entrevista à NPR que buscava uma troca de Wang por Soleimani. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.


Publicidade