Publicidade

Estado de Minas

Deputados dos EUA apoia solução de dois estados no conflito palestino-israelense


postado em 06/12/2019 22:42

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos decidiu nesta sexta-feira a favor de uma solução de dois estados para o conflito israelense-palestino, uma mensagem de advertência ao primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que defende a anexação da Cisjordânia.

Com o apoio de representantes democratas e republicanos, a resolução da Câmara também serve de recado para o presidente Donald Trump, que apoia Netanyahu.

O órgão legislativo disse em sua resolução, a primeira sobre a anexação da Cisjordânia, que uma solução de dois estados "pode garantir a sobrevivência do estado de Israel como um estado hebreu e democrático e também cumprir a aspiração legítima do povo palestino por seu próprio estado. "

Os Estados Unidos deveriam "desestimular ações de ambos lados que possam deixar fora de alcance uma solução pacífica para o conflito", segundo a declaração.

Essas ações incluem a "anexação unilateral do território ou os esforços para alcançar o estatuto de estado fora do contexto das negociações com Israel", indica a resolução.

Nós, que somos fortes aliados de Israel, entendemos que é melhor para Israel uma solução de dois estados, que uma solução de dois estados é boa não apenas para os palestinos, mas também para os judeus", disse o democrata Eliot Engel, presidente do Comitê de Relações Exteriores, na Câmara dos Deputados.

Steve Chabot, representante republicano contrário à resolução, declarou que esta medida "ignora completamente a razão pela qual a solução de dois estados nunca decolou: vozes venenosas no lado palestino que não querem dois estados, querem apenas um, um estado palestino".

Netanyahu, no poder, mas enfraquecido politicamente e acusado de corrupção, prometeu anexar grande parte da Cisjordânia, o que arruinaria as aspirações de um Estado palestino.

No mês passado, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, disse que os Estados Unidos não consideram mais ilegais os assentamentos israelenses na Cisjordânia, o que poderia facilitar a anexação por Israel.


Publicidade