Publicidade

Estado de Minas

Gauguin do período no Taiti é vendido por 9,5 milhões de euros


postado em 03/12/2019 21:43

Uma pintura do artista pós-impressionista francês Paul Gauguin, uma das poucas obras de sua época no Taiti, foi vendida nesta terça-feira por 9,5 milhões de euros no Artcurial, "quase o dobro da avaliação", anunciou a casa de leilões parisiense.

Esta tela de 1897, "Te Bourao II", faz parte de um ciclo de nove pinturas feitas no Taiti e é uma das poucas obras desse período ainda em mãos particulares. O trabalho mostra uma paisagem sugestiva da ilha, e seu nome vem da palavra "árvore" no idioma local.

O quadro foi exposto principalmente no MET em Nova York de 2007 a 2017.

A obra foi arrematada por um "colecionador internacional", que informou que o quadro permanecerá na França, segundo a Artcurial.

O pintor (1848-1903) tem sido alvo de críticas nos últimos anos, acusado de se relacionar com meninas taitianas durante esse rico período de sua carreira artística.

- Paraíso perdido -

A obra, que evoca um provável "paraíso perdido com uma natureza virgem e uma presença muito limitada do homem", é a última do ciclo que ainda estava com um particular.

Para Bruno Jaubert, diretor associado do departamento de arte moderna da casa de leilões, "a fugaz passagem terrestre do homem se revela no pincel do criador: do paraíso perdido da infância ao tenebroso mistério do além".

Segundo a Artcurial, a última venda na França de um Gauguin desse período foi há 22 anos. A última tela dessa época vendida em um leilão foi em 2017 na casa Sotheby's de Nova York, por 7,5 milhões de dólares.

O recorde absoluto para uma obra de Gauguin remonta a 2006, quando "Homem com machado" foi vendido por 40,3 milhões de dólares em Nova York.

Em 1891, o pintor se instalou no Taiti, esperando fugir de uma civilização ocidental excessivamente artificial.

Lá pintaria numerosas obras, antes de cair em depressão e enfrentar problemas financeiros.


Publicidade