Publicidade

Estado de Minas OPERAçãO EM COAHUILA

Tráfico sob cerco policial no México


postado em 02/12/2019 04:00

Policiais e traficantes protagonizaram tiroteio no sábado que deixou pelo menos 21 mortos na comunidade mexicana de Villa Unión, perto da fronteira com os Estados Unidos, informaram autoridades locais. O confronto começou pouco antes do meio-dia na cidade do estado de Coahuila, ao Norte do país. Policiais locais detectaram vários veículos com civis fortemente armados, percorrendo a comunidade, e pediram a intervenção de militares.
 
Entre os mortos, o governo de Coahuila identificou quatro policiais e sete criminosos. Outros três corpos não identificados seriam de civis. Um adulto e um menor estão desaparecidos.Na operação, foram apreendidas caminhonetes, armas e munições de alto calibre. Pelo menos seis policiais ficaram feridos, mas nenhum deles corre risco de vida.
 
A Procuradoria-Geral do México informou ontem ter prendido várias pessoas supostamente ligadas ao assassinato de três mulheres e seis crianças que pertenciam a uma comunidade mórmon de origem americana assentada em Sonora, no Norte do México. A instituição disse ainda, por meio de comunicado, que a captura foi realizada durante a madrugada, mas não especificou o local, quantos são os detidos nem se estão ligados a uma organização criminosa.
 
“Nas primeiras horas deste dia (ontem), em um esforço conjunto e cumprindo os mandados de busca obtidos de um juiz especializado, foi realizada a detenção de vários indivíduos supostamente envolvidos nos eventos mencionados”, explica o comunicado.
 
O crime provocou indignação no México e nos Estados Unidos. O presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou dias atrás que designaria os cartéis de drogas como terroristas, o que no México foi interpretado como uma potencial intervenção dele nos assuntos do país. López Obrador alertou na sexta-feira passada que “estrangeiros armados não podem intervir” no México, embora tenha esclarecido que “não há nada a temer” porque acredita que o presidente Trump sempre foi “respeitoso”.
 
A Cidade do México era, neste domingo, cenário de protestos da oposição, que reclama, principalmente, do aumento da violência, no primeiro aniversário do governo do esquerdista Andrés Manuel López Obrador. O presidente, por sua vez, liderou uma celebração em massa com seus apoiadores.

Tiroteio nos EUA

A polícia de Nova Orleans, nos Estados Unidos, investiga tiroteio em massa que, ontem, feriu 10 pessoas, perto de um famoso bairro francês da cidade. Não houve registro de mortes. A polícia ainda não identificou se há um ou mais suspeitos pelos disparos. Dois feridos foram encaminhados para o hospital em estado crítico, de acordo com informações do superintendente da polícia local, Shaun Ferguson. Nenhuma prisão havia sido anunciada até o fechamento desta edição. “O que aconteceu em nossa cidade foi um ato covarde e sem sentido que não podemos e não toleramos”, disse Ferguson, por meio de comunicado. O tiroteio ocorreu num movimentado quarteirão comercial da Canal Street, que tem faixas de bonde e fica perto de muitos hotéis. A polícia respondeu rapidamente aos chamados de emergência, enquanto várias patrulhas faziam ronda para um clássico torneio de futebol realizado no fim de semana, próximo do local onde houve a agressão. Ontem, as autoridades não sabiam de onde os tiros partiram.


Publicidade