Publicidade

Estado de Minas

Violentos combates deixam 70 mortos no noroeste sírio nas últimas 24h


postado em 01/12/2019 13:49

Cerca de 70 combatentes morreram nas últimas 24 horas em combates entre as forças do governo e os grupos extremistas na província de Idleb, noroeste da Síria - anunciou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

Nos combates, morreram 36 soldados do governo e 33 combatentes das forças "jihadistas" e rebeldes, relatou o OSDH.

"Trata-se dos combates mais violentos em Idleb desde a entrada em vigor do cessar-fogo", anunciado pelo governo de Bashar al-Assad e por seu aliado russo, disse à AFP o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

"As forças do regime desenvolvem" um "contra-ataque em um setor do sudeste de Idleb, onde os grupos rebeldes e jihadistas assumiram o controle no sábado de quatro localidades", disse Rahman.

"Conseguiram reconquistá-las totalmente", mas os "combates continuam", acrescentou.

Na região de Maarat al-Nooman, bombardeada por aviões do governo, viam-se colunas de fumaça, observou um correspondente da AFP.

No domingo à tarde, os bombardeios incluíam outros setores no leste e no sul de Idleb, incluindo a cidade de Saraqeb.

A província de Idleb é dominada pelos extremistas do grupo Hayat Tahrir al-Sham (HTS), o antigo braço da rede Al-Qaeda na Síria. Esta região e setores adjacentes das províncias de Aleppo, Hama e Latáquia continuam escapando do controle do governo sírio.

Entre abril e agosto, a região foi bombardeada sem interrupção pelo Exército sírio, apoiado pela aviação russa. Cerca de mil civis morreram neste período, afirma o OSDH, enquanto mais de 400.000 pessoas foram deslocadas, conforme a ONU.

Apesar da trégua anunciada em 31 de agosto, os combates em terra, que começaram sendo esporádicos, intensificaram-se nas últimas semanas.


Publicidade