Publicidade

Estado de Minas

Mercado de Cuba recém reaberto é fechado por indisciplina dos visitantes


postado em 17/11/2019 17:49 / atualizado em 17/11/2019 19:22

Foto histórica do Mercado Cuatro Caminos(foto: Calle Cristina)
Foto histórica do Mercado Cuatro Caminos (foto: Calle Cristina)

Inaugurado no sábado após mais de quatro anos de reformas, o emblemático Mercado Único de Havana fechou suas portas poucas horas depois por "indisciplina" social, quando recebia seus primeiros visitantes, informaram autoridades da ilha.


"Está certa a decisão [de fechar o mercado] como resultado da indisciplina e os maus-tratos da instalação", afirmou a Corporación Cimex, empresa mercantil de capital estatal cubano, em um comunicado divulgado na noite de sábado.


A Cimex, encarregada da reforma geral do prédio de dois andares, de estilo neoclássico e construído em 1920, e de sua gestão comercial, destacou que "diante do enorme volume de público é preciso realizar ajustes próprios da inauguração".


Ainda assim, prometeu que o mercado, uma das obras mais importantes inauguradas em Havana pelos 500 anos da fundação da cidade, voltará a abrir suas portas "na semana que vem".


Imediatamente após a abertura ao público na manhã de sábado, em meio a uma forte presença policial, milhares de pessoas entraram no mercado. Vídeos nas redes sociais mostram os clientes correndo para adquirir produtos que estão em falta, empurrões e brigas dentro do estabelecimento.

 

A inauguração ocorre em um contexto no qual as lojas da capital cubana enfrentam uma situação de desabastecimento de alimentos e outros bens. O governo cubano atribui a escassez ao bloqueio que Washington aplica à ilha desde 1962, intensificado durante o governo de Donald Trump.


Publicidade