Publicidade

Estado de Minas INTERNACIONAL

Ex-assessor da Casa Branca liga Trump a uso de ajuda à Ucrânia contra Biden


postado em 17/11/2019 08:30

O ex-assessor de Segurança Nacional da Casa Branca Tim Morrison afirmou em depoimento privado que o emissário do presidente americano, Donald Trump, para a União Europeia, Gordon Sondland, relatou a ele que disse a um oficial do governo da Ucrânia que a ajuda militar dos Estados Unidos ao país europeu seria liberada apenas se o democrata Joe Biden e o filho dele, Hunter, fossem investigados pela justiça ucraniana.

O depoimento privado foi dado a investigadores que atuam no processo de impeachment contra Trump, e as transcrições foram divulgadas neste sábado. O testemunho de Morrison aproxima o presidente americano da acusação central dos democratas, de que Trump teria utilizado a ajuda militar à Ucrânia como moeda de troca por investigações sobre democratas e sobre a família de Biden.

Morrison afirmou aos investigadores que Sondland disse a ele que estava discutindo as questões da Ucrânia diretamente com Trump. O ex-assessor disse que logo após a conversa com o emissário durante um encontro internacional em Varsóvia, relatou o caso a seu chefe, o então conselheiro de segurança nacional John Bolton, que lhe teria dito para "ficar fora disso".

Tanto Tim Morrison quanto Gordon Sondland devem testemunhar em sessão pública na próxima semana, como parte do inquérito em que democratas acusam Donald Trump de utilizar sua posição para obter ganhos políticos. Trump e seus aliados afirmam que o processo tem motivação política, e que nenhum testemunho dá sustentação a seu impedimento até o momento.


Publicidade