Publicidade

Estado de Minas

Empresários propõem melhorar salários diante de crise no Chile


postado em 29/10/2019 19:55

A inédita crise social no Chile levou vários dos empresários mais prósperos do país a fazer uma autocrítica e até propor melhorar as condições salariais de seus funcionários, afirmou nesta terça-feira um representante da organização patronal.

A maior mobilização em mais de 30 anos no Chile expôs a insatisfação social da população. Entre as queixas, está a desigualdade e as diferenças salariais, em um país onde o salário mínimo é de 301.000 pesos (cerca de 1.600 reais) e onde metade dos 8,6 milhões de trabalhadores ganha, em média, 400.000 pesos (2.200 reais).

Alfonso Swett, presidente da Confederação da Produção e do Comércio (CPC), reconheceu à imprensa local que mudanças precisam ser feitas.

"Sabemos que temos que abrir nossas mãos, botar a mão no bolso, e dói", afirmou Swett, líder de um dos sindicatos empresariais mais poderosos do Chile.

Swett afirmou que existe a "convicção" em seu setor de que se devem melhorar as condições dos trabalhadores. Outros poderosos empresários já decidiram aumentar o salário mínimo de seus funcionários como um gesto em meio a esta crise social que deixou 20 mortos e mais de mil feridos.

"As crises são resolvidas com ações concretas", declarou o milionário Andrónico Luksic, que prometeu aumentar, a partir de 1 de janeiro de 2020, o salário mínimo dos funcionários de seu conglomerado empresarial Quiñeco - que administra empresas como o Banco de Chile - para 500.000 pesos (2.700 reais).

Luksic, que também se mostrou disposto a discutir um tributo de 1% sobre o patrimônio dos mais ricos, levou outras empresas a fazer anúncios similares, como a plataforma de seguros Comparaonline, a companhia financeira Tanner e a imobiliária Crystal Lagoons, que prometeu um aumento do salário mínimo de seus funcionários para 600.000 pesos (3.300 reais).

"A situação complexa que o Chile está atravessando nos faz refletir sobre nosso papel nesta sociedade. Entendo as frustrações que hoje são vistas", disse Antonio Turner, gerente geral da Tanner.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade