Publicidade

Estado de Minas

Gigantes do petróleo gastaram EUR 250 milhões em lobby na Europa


postado em 23/10/2019 19:49

As cinco maiores petroleiras privadas do mundo, ou representantes delas, gastaram mais de de 250 milhões de euros desde 2010 em ações de lobby ante a União Europeia, afirmaram ONGs de defesa do meio ambiente.

As empresas BP, Chevron, ExxonMobil, Shell e Total e organizações do setor das energias fósseis mantiveram, pelo menos, 327 reuniões com autoridades da Comissão Europeia desde que Jean-Claude Juncker assumiu a presidência da instituição de 2014, ou seja, mais de uma por semana, segundo as fontes.

As cifras foram facilitadas em um estudo das ONGs Corporate Europe Observatory, Food and Water Europe, Friends of the Earth Europe e Greenpeace UE, baseadas em uma compilação das declarações das empresas e no "registro de transparência" que recolhe as intervenções dos grupos de interesse de pressão diante das instituições europeias.

De acordo com o relatório, as cinco gigantes declararam ter gastado nessas ações 123,3 milhões de euros no período 2010-2018, enquanto os grupos que representam o setor dedicaram 128 milhões no mesmo período.

"Isto se dá em uma atitude crônica da indústria de energias fósseis, que faz de tudo para atrasar, debilitar ou entorpecer as ações, contudo tão necessários a favor do clima", comentou à AFP Pascoe Sabido, do Corporate Europe Observatory.

Em geral, considera-se que a UE está na vanguarda em ações contra a mudança climática, mas alguns ambientalistas disseram, preocupados, que seus membros não fazem o suficiente, sobretudo para limitar o uso das energias fósseis e, assim, alcançar o objetivo do Acordo de Paris: limitar a alta da temperatura a "muito menos de 2ºC" em relação à era pré-industrial.

Neste sentido, citam importantes projetos de gasodutos, e a ONG Global Witness estimou que em abril as grandes empresas de hidrocarbonetos tinham previsto investir 5 trilhões de dólares em projetos de longo prazo, algo que se localiza do lado oposto do Acordo de Paris.

Um porta-voz da Total declarou à AFP que as cifras publicadas nesta quinta "não refletem absolutamente" os gastos do grupo com lobby.

O da ExxonMobil disse que a empresa age "completamente de acordo com as exigências do registro de transparência da UE".

Já uma porta-voz da Shell "negou firmemente" o relato das ONGs e garantiu que "fomos perfeitamente claros em nosso apoio ao Acordo de Paris".

BP e Chevron não fizeram declarações a respeito.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade