Publicidade

Estado de Minas

Turquia 'não necessita' retomar ofensiva na Síria


postado em 22/10/2019 21:19

A Turquia "não necessita" retomar sua ofensiva contra as forças curdas no norte da Síria porque elas estão se retirando da região da fronteira, anunciou na noite desta terça-feira (22) o ministério turco da Defesa.

"Nesta fase não há a necessidade de realizar uma nova operação", afirmou o ministério, precisando que a retirada curda foi confirmada pelos Estados Unidos.

A Turquia lançou uma ofensiva em 9 de outubro no norte da Síria, tendo como alvo a milícia síria-curda das Unidades de Proteção Popular (YPG), considerada "terrorista" por Ancara.

Em seguida, em virtude de um acordo fechado com o vice-presidente americano, Mike Pence, a Turquia concordou em 17 de outubro em suspender sua ofensiva por cinco dias, um período que expirou nesta terça-feira às 16H00 de Brasília.

Este acordo prevê o estabelecimento de uma "zona de segurança" com 32 km de largura em território sírio.

"No final do período de 120 horas, os Estados Unidos anunciaram que a retirada dos YPGs da área foi concluída", afirmou o ministério turco.

Segundo uma fonte diplomática turca, a retirada curda foi confirmada por telefone pelo secretário de Estado americano, Mike Pompeo, para seu homólogo turco, Mevlut Cavusoglu.

O anúncio turco ocorre logo após os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Turquia, Tayyip Erdogan, concordarem em patrulhar a fronteira turco-síria.

O acordo estipula que as tropas russas e sírias devem patrulhar as áreas da fronteira onde o exército turco realizou sua ofensiva.

A ofensiva turca na Síria gerou protestos internacionais. Vários países, especialmente os europeus, estão preocupados com civis e com a possibilidade de muitos jihadistas presos pelos curdos fugirem.


Publicidade