Publicidade

Estado de Minas

Rússia e Turquia enviarão patrulhas conjuntas ao norte da Síria


postado em 22/10/2019 15:25

Rússia e Turquia mobilizarão patrulhas conjuntas no nordeste da Síria, após o desarmamento das milícias curdas na região - anunciou nesta terça-feira (22) o ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, após reunião entre os presidentes Vladimir Putin e Recep Tayyip Erdogan.

"Estas decisões são, segundo meu critério, muito importantes, decisivas e vão permitir resolver uma situação muito tensa", declarou Putin, ao lado de Erdogan, em Sochi, na Rússia.

O presidente russo se referia ao mecanismo que busca evitar que a operação militar turca no nordeste da Síria contra grupos armados curdos seja retomada após uma breve trégua.

"Com o presidente Putin alcançamos um acordo histórico para a luta contra o terrorismo, a integridade territorial e a unidade política da Síria, assim como para o retorno dos refugiados", disse Erdogan.

Segundo o presidente turco, o acordo com a Rússia - aliada do governo sírio - engloba os setores do nordeste deste país, onde acontece a ofensiva de Ancara contra as Unidades de Proteção Popular (YPG) curdas.

A retirada das forças curdas, que ainda estava em andamento na noite de ontem, abarca uma área de 120 quilômetros entre as localidades de Tal Abyad e Ras al-Ain, principais alvos da ofensiva turca.

No caso da faixa na fronteira ao leste e ao oeste deste setor, as YPG devem se retirar "dentro das 150 horas a partir de 23 de outubro às 9h GMT (6h em Brasília)", acrescentou Erdogan.

"Ao final das 150 horas, começarão as patrulhas turcas e russas, com uma profundidade de dez quilômetros ao oeste e ao leste da área da 'Operação Manancial de Paz'", completou o presidente turco.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade