Publicidade

Estado de Minas

Turquia sofrerá mais sanções se não houver trégua, promete secretário do Tesouro


postado em 16/10/2019 20:54

Os Estados Unidos adotarão mais sanções econômicas contra a Turquia caso Ancara não adote um cessar-fogo em sua ofensiva contra os curdos no norte da Síria, declarou nesta quarta-feira o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin.

"Verão sanções adicionais caso não adotem um cessar-fogo", disse Mnuchin aos jornalistas.

Até o momento, a Turquia tem resistido à pressão internacional para que suspenda sua ofensiva militar contra os curdos na Síria.

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, deve viajar nesta quarta-feira para Ancara, onde também deve exigir um cessar-fogo.

Mais cedo, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, rejeitou os apelos de Washington por uma trégua na ofensiva sobre o curdos, afirmando que Ancara "não está preocupada" com as sanções anunciadas pelos EUA.

Na semana passada, a Turquia deflagrou uma operação para expulsar os combatentes curdos do norte da Síria, após Trump ordenar a saída de cerca de mil soldados americanos da região.

A retirada foi vista como um sinal verde da Casa Branca para a ofensiva turca, e provocou uma reação em massa contra Trump.

Apesar de ameaçar a Turquia com a "destruição de sua economia", Trump tem dado sinais ambíguos e nesta quarta-feira declarou que os "curdos não são anjos".

A Câmara de Representantes dos Estados Unidos aprovou nesta quarta uma resolução que "rejeita a decisão de acabar com certos esforços dos Estados Unidos para evitar operações militares turcas contras as forças curdas no nordeste da Síria".

A resolução, aprovada com amplo apoio de democratas e republicanos (354 votos a 60), exorta Erdogan a "cessar imediatamente as ações militares unilaterais" na zona e defende a manutenção do apoio humanitário americano às comunidades curdas na Síria.


Publicidade