Publicidade

Estado de Minas

Polêmica não impede partida de exibição da NBA na China


postado em 10/10/2019 16:49

Duas equipes da NBA disputaram, nesta quinta-feira (10) à noite, em Xangai, como estava programado, uma partida de exibição diante de centenas de torcedores chineses emocionados, apesar da atual crise entre a liga americana de basquete e a China.

Por conta de um polêmico tuíte sobre Hong Kong, a partida foi dúvida até o último momento. Acabou acontecendo, sem incidentes, com a vitória dos Nets sobre o Lakers da superestrela LeBron James por 111-114.

Todo ano, antes do início da temporada, as equipes da NBA vão à China impulsionar a já enorme popularidade da Liga no país asiático.

A crise entre a China e a NBA começou há uma semana depois que o diretor-geral da equipe texana Houston Rockets, Daryl Morey, escreveu um tuíte, expressando seu apoio aos protestos em Hong Kong.

Desde junho passado, esta antiga colônia britânica vem registrando manifestações cada vez mais violentas, com seus ativistas exigindo uma maior autonomia frente ao crescente controle de Pequim.

O governo e muitos usuários chineses de Internet declararam sua irritação com o tuíte de Morey, considerando-o um desafio à soberania e à integridade territorial do país.

Na frente do Mercedes-Benz Arena, onde foi realizada a partida Lakers-Nets, um chinês segurava uma bandeira vermelha, na qual se lia com letras amarelas e em inglês: "Morey, vai tomar no cu".

Dentro do estádio, a partida foi disputada sob um forte esquema policial e em um ambiente de festa. Muitos torcedores foram vestidos com camisetas da NBA e aclamaram seus ídolos. O basquete é o esporte mais amado na China.

"Estou muito emocionado. Enfim posso ver a superestrela que eu sonhava ver, LeBron James", disse à AFP Cai Zhicong. "Minhas mãos estão suando", confidenciou.

A realização da partida é uma pequena surpresa, depois do cancelamento, esta semana, de uma série de eventos da NBA programados para acontecer na China. Em Xangai, os cartazes que anunciavam o jogo Lakers-Nets já haviam sido, inclusive, retirados.

A NBA confirmou o encontro apenas nesta quinta à tarde, e um representante da Liga disse à AFP que a outra partida, sábado, em Shenzhen (sul), está mantida.

Prova da sensibilidade da crise, foram anuladas todas as entrevistas coletivas de antes e depois da partida. Também não foram tocados os hinos nacionais, para evitar possíveis vaias ao dos Estados Unidos.

A televisão pública CCTV havia cancelado a transmissão do jogo de hoje e de sábado, e os patrocinadores chineses cortaram seus vínculos com a NBA.

No início da crise, a Liga declarou, em um comunicado, que estava "profundamente decepcionada com as observações inapropriadas" do dirigente do Rockets. Na terça-feira, porém, o comissário da NBA, Adam Silver, declarou que a instituição não se desculparia e continuaria apoiando "a liberdade de expressão".


Publicidade