Publicidade

Estado de Minas

Recém-promovido Famalicão surpreende Portugal com ajuda de empresário de Cristiano Ronaldo


postado em 30/09/2019 15:37

O FC Famalicão vem revolucionando o Campeonato Português: após sete rodadas, este pequeno clube recém-promovido aparece na liderança da competição, à frente dos gigantes Benfica e Porto. O segredo? Os interesses do empresário Jorge Mendes e o talão de cheque de um bilionário israelense.

"Nem nos meus sonhos mais loucos eu poderia imaginar que lideraríamos o Campeonato Português!", comemora Ramiro Carvalho, sócio do Famalicão há cerca de 40 anos.

Este empresário de 64 anos, vestido com a camisa azul do clube, percorreu os 350 km que separam Famalicão de Lisboa para assistir à equipe derrotar por 2 a 1 o tradicional Sporting.

A vitória ajudou os 'Famalicenses' a permanecer na liderança da competição nacional. Com 19 pontos, somam uma unidade a mais que Benfica e Porto após sete rodadas.

- Ascensão fulminante -

A reviravolta no Famalicão começou em junho de 2018, quando o magnata israelense do petróleo Idan Ofer aceitou o desafio lançado pelo amigo Jorge Mendes. Este bilionário, dono de um terço do Atlético de Madrid, decidiu investir no clube desta cidade industrial de 130.000 habitantes, situada a cerca de 30 km do Porto (norte), quando a equipe agonizava no fundo da tabela da segunda divisão portuguesa.

Um ano depois, o clube está na elite do futebol português após 25 anos de ausência e tem um orçamento anual de 7,5 milhões de euros, um décimo do orçamento do Sporting, por exemplo, mas duas vezes maior do que o de clubes recém-promovidos à primeira divisão nos últimos anos.

No início de setembro, Idan Ofer aumentou a participação de sua holding Quantum Pacific no capital do clube de 51% para 85%.

Mas, principalmente, o clube conta com a rede de contatos do poderoso Jorge Mendes e de sua empresa, a Gestifute, que gere as carreiras de grandes nomes do futebol internacional, como o cinco vezes melhor do mundo Cristiano Ronaldo, o técnico José Mourinho ou a jovem promessa portuguesa João Félix, que na última janela se transferiu do Benfica para o Atlético de Madrid por 126 milhões de euros.

- 'Relação privilegiada' -

"O Famalicão tem uma relação privilegiada com Jorge Mendes. A Gestifute foi sócia do clube e da Quantum Pacific na constituição de nossa sociedade anônima. Foi quem celebrou o casamento entre as duas partes", confirmou o diretor geral do Famalicão, Miguel Ribeiro, em entrevista ao jornal português Expresso.

"Temos a ambição de colocar o Famalicão no mais alto nível do futebol português, e quando digo isso não estou só falando de permanência na 1ª divisão", garantiu o ex-homem forte do Rio Ave, outro clube do norte de Portugal que se beneficiou da influência de Jorge Mendes no passado.

Quando os sócios do Rio Ave recusaram ceder o controle do clube aos chineses da Fosun, o empresário, de 53 anos, buscou um novo projeto no Famalicão.

Para colocar o Famalicão na elite, Mendes reforçou a equipe com cerca de 20 jogadores ligados à Gestifute ou a clubes europeus com os quais tem negócios.

Diversas promessas do Benfica, do Atlético, do Valencia, do Wolverhampton ou do West Ham foram assim emprestados, como o zagueiro argentino Nehuen Pérez, que concorre ao prêmio Golden Boy.

- Sonhos europeus -

Somente quatro jogadores do elenco atual estavam na equipe no ano passado e, segundo estimativas do site especializado Transfermarkt, o valor de mercado da equipe subiu de 9 milhões de euros no ano passado para 21 milhões nesta temporada.

"Temos consciência da importância de Jorge Mendes no clube, sem ele o Famalicão não poderia trazer todos esses jogadores", reconhece Francisco Fontão, torcedor de 37 anos.

De seu status de recém-promovido, o clube só conserva um estádio pequeno para apenas 5.000 espectadores, que será ampliado em 2.000 lugares até 2021, após investimento de 8 milhões de euros.

Enquanto alguns torcedores já sonham com uma possível classificação para competições europeias, accessíveis a partir do quinto lugar no Campeonato Português, o técnico João Pedro Sousa prefere manter os pés no chão.

"Não pensamos na Europa. Nosso objetivo é a permanência (na 1ª divisão) e não pensaremos em nada mais enquanto isso não for alcançado", declarou o treinador após a vitória de peso sobre o Sporting.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade