Publicidade

Estado de Minas

Eventos celebram 70º aniversário da criação da República Popular da China


postado em 30/09/2019 10:07

A China comemora nesta terça-feira (1º) os 70 anos da criação da República Popular, proclamada pelos comunistas em 1949, com uma série de atos que incluem paradas militares, discursos e outros eventos festivos.

- Um "discurso importante" -

As celebrações desta terça começam com um discurso do presidente Xi Jinping, que também é o líder do Partido Comunista Chinês (PCC).

Espera-se que ele destaque as conquistas do regime comunista (luta contra a pobreza, desenvolvimento econômico, conquista tecnológica), ocultando as questões mais sombrias, como a falta de liberdades civis, os desastres do período maoísta, ou a repressão das manifestações da praça Tiananmen de Pequim, em 1989.

O discurso foi anunciado como "importante" pela imprensa oficial, um termo usado para todos os pronunciamentos do chefe de Estado.

- Mísseis e carros -

O desfile previsto para esta terça reunirá 15 mil militares, 160 aviões e dezenas de mísseis balísticos e armamentos durante quase uma hora na praça Tiananmen, no centro de Pequim.

O presidente Xi Jinping deve assistir ao desfile da muralha sul da Cidade Proibida, mesmo lugar onde o fundador do regime, Mao Zedong, proclamou a República Popular em 1º de outubro de 1949.

Pequim anunciou um desfile "nunca visto" e prometeu apresentar novos tipos de armamento. O ministro da Defesa garantiu, porém, que será uma marcha "sóbria" e com um orçamento "muito inferior" aos dos anos anteriores.

- 'Carnaval' -

Depois dos soldados, haverá um grande desfile com 100 mil pessoas e 70 carros, lembrando as conquistas das últimas décadas. Também serão lançados aos céus 70 mil pombas e 70 mil balões, em referência aos 70 anos do regime.

- Artistas e fogos de artifício -

Às 20h (9h em Brasília), a praça Tiananmen, no centro de Pequim, vai acolher durante uma hora e meia um espetáculo artístico com mais de 3.000 participantes e que terminará com fogos de artifício.

- Poluição -

Conhecida pelos níveis de poluição, Pequim vai paralisar suas fábricas, provisoriamente, para tentar ter um céu azul para o evento.

- Cinema -

Os desfiles serão transmitidos ao vivo em 70 cinemas do país, com imagem de resolução 4K e um som cristalino.

- Ruas bloqueadas -

Os habitantes de Pequim enfrentarão as restrições do tráfego e as inúmeras ruas bloqueadas para as cerimônias.

Em setembro, durante todos os finais de semana, os ensaios para a data já provocaram engarrafamentos e tensões entre os moradores e a polícia. Segundo a emissora de televisão oficial, porém, "o conjunto da população de Pequim demonstra seu apoio e é compreensivo".

- Prédios iluminados -

Há vários dias, projetam-se nos arranha-céus de Pequim imagens animadas com o número 70, lemas patrióticos e textos elogiosos ao Partido Comunista, com muito sucesso nas redes sociais.

- Pombas proibidas -

Muito apreciadas pelos moradores de Pequim, as pombas estão proibidas de voar, assim como drones e cometas. A medida tem como objetivo evitar perturbações aos helicópteros e aos aviões militares do desfile.

- Apenas notícias positivas -

Nas últimas semanas, a imprensa chinesa recebeu instruções para não insistir em notícias negativas, como acidentes, ou catástrofes naturais, e para dar prioridade à "energia positiva", como repete com frequência o Partido Comunista.

- Filme patriótico -

Nesta segunda-feira, estreia nos cinemas da China "Eu e meu país", uma filme com orçamento polpudo que reúne dos atores mais conhecidos do momento.

Como acontece a cada vez que uma superprodução elogiando o Partido Comunista é lançada, as empresas estatais organizam idas ao cinema para seus funcionários, gratuitas e obrigatórias. Depois, eles têm a obrigação de redigir um texto sobre suas percepções.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade