Publicidade

Estado de Minas

Trump não descarta suspender sanções ao Irã para se reunir com Rohani


postado em 11/09/2019 19:43

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não descartou nesta quarta-feira (11) uma eventual suspensão das sanções contra o Irã para abrir caminho para um encontro com seu contraparte iraniano, Hassan Rohani.

Consultado no Salão Oval sobre a possibilidade de suspender as sanções que sufocam a economia iraniana visando um possível encontro com Rohani, Trump limitou-se a responder: "Vamos ver".

"Acho que o Irã tem um potencial enorme (...). Esperamos poder chegar a um acordo", acrescentou, voltando a insistir na ideia de que Teerã "quer alcançar um acordo".

Mas Trump também fez advertências a Teerã.

"Não podemos permitir que o Irã tenha armas nucleares (...). O enriquecimento de urânio será muito perigoso para eles", afirmou.

Segundo a agência Bloomberg, recentemente Trump falou abertamente durante uma reunião na Casa Branca sobre a possibilidade de suavizar as sanções impostas a Teerã em troca de um encontro com Rohani.

A ideia do presidente tem apoiadores no governo, como o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, e críticos, liderados pelo ex-assessor de Segurança Nacional John Bolton.

A demissão de Bolton, na terça-feira, pode ajudar a tornar realidade um encontro considerado impossível durante muito tempo.

"A ideia de que o Irã receba benefícios econômicos tangíveis somente por deixar de fazer aquilo que jamais deveria ter feito está descartada", disse Bolton no final de agosto.

Enquanto isso, Teerã voltou a rejeitar a ideia de uma cúpula entre os dois presidentes sem a suspensão prévia das sanções.

"Enquanto o governo dos Estados Unidos mantiver seu terrorismo econômico e as sanções cruéis sobre o povo iraniano, não há espaço para negociações", afirmou Majid Takht-Ravanchi, representante do Irã na ONU.

Em conversa por telefone nesta quarta-feira, Rohani disse ao colega francês, Emmanuel Macron, que os diálogos com os Estados Unidos "não têm sentido" se as sanções não forem suspensas.

A atitude de Trump parece marcar um ponto de inflexão na posição linha-dura mantida por vários membros de sua equipe. Segundo a Casa Branca, Trump quer se encontrar com Rohani sem condições prévias, ao mesmo tempo em que mantém as sanções.

"Não podemos ser mais claros sobre o fato de que estamos decididos a implementar esta campanha de pressão máxima e que não temos a intenção de outorgar exceções ou anulações", disse no começo de setembro o enviado dos Estados Unidos ao Irã, Brian Hook.

"Os Estados Unidos estão intensificando sua campanha de máxima pressão", reforçou na ocasião.


Publicidade