Publicidade

Estado de Minas

Indonésia mobiliza mais tropas na província de Papua


postado em 21/08/2019 07:54

A província indonésia de Papua foi afetada por novos tumultos nesta quarta-feira e mais de mil agentes de segurança foram enviados para a região, depois de protestos violentos em que edifícios foram incendiados e confrontos entre a polícia e manifestantes foram registrados.

Jacarta pediu calma em seu território mais oriental, onde uma insurgência contra o governo indonésio fervilha há décadas, após distúrbios provocados pela detenção de dezenas de estudantes em Java no fim de semana.

Cerca de 1.200 membros das forças de segurança foram mobilizados em Monokwari e Sorong, de acordo com o governo e as autoridades locais.

Nesta quarta-feira, quase mil pessoas protestaram nas ruas da cidade de Timika, onde jornalistas da AFP viram manifestantes jogando pedras nas janelas de um prédio do parlamento local enquanto tentavam derrubar sua cerca.

A polícia de choque dispersou a multidão disparando tiros de advertência.

Centenas de pessoas também marcharam em Sorong e no povoado de Fakfak, no extremo oeste da ilha, que é dividida entre a Indonésia e a nação independente de Papua Nova Guiné.

Várias cidades da rica região de Papua ficaram paralisadas nesta semana, incluindo a capital Manokwari, onde muitos negócios e o parlamento local foram incendiados por manifestantes.

As autoridades procuram mais de 250 prisioneiros que escaparam de uma prisão em Sorong, que foi incendiada durante os tumultos.

Muitos policiais ficaram feridos, disseram as autoridades, e há relatos não confirmados de manifestantes feridos. Nenhuma morte foi relatada.

Nesta região há uma rebelião independentista que provoca atos de violência esporadicamente. Nesta última ocasião, foram provocadas pela detenção no sábado de 43 estudantes em Surabaya, que coincidiu com o dia da independência do país.

Papua declarou-se independente em 1961, mas a Indonésia assumiu o controle pela força em 1963 e a anexou oficialmente em 1969.


Publicidade