Publicidade

Estado de Minas

Militares e opositores no Sudão têm acordo sobre declaração constitucional


postado em 02/08/2019 22:13

O Conselho Militar, no poder no Sudão, e os líderes dos protestos que abalam o país chegaram a um acordo sobre uma declaração constitucional, anunciou neste sábado o mediador da União Africana, Mohamed El Hacen Lebatt.

"Anuncio aos sudaneses e aos africanos, e à opinião pública internacional, que as duas delegações alcançaram um pleno acordo sobre a declaração constitucional", disse Lebatt à imprensa em Cartum.

O acordo foi obtido após intensas negociações entre representantes do governo militar e da Aliança para a Liberdade e a Mudança, que lidera os protestos no Sudão há vários meses.

O acordo pode abrir caminho para uma transição a um governo civil.

Os pontos mais delicados das negociações envolviam os poderes da junta civil-militar, a mobilização das forças de segurança e a imunidade para generais diante das denúncias de violência contra manifestantes.

Lebatt informou que as duas delegações analisam agora a definição de uma cerimônia formal do acordo.

O governo militar anunciou neste sábado a prisão de nove membros das temidas Forças de Apoio Rápido (RSF) acusados de matar jovens manifestantes, no início da semana.

"Foi aberta uma investigação sobre os acontecimentos em Al Obeid e sete membros das RSF foram imediatamente demitidos e levados à Justiça", havia declarado na véspera o general Shamseddine Kabbashi.

Na quinta-feira, quatro manifestantes foram mortos a tiros durante um protesto em Omdurman, "cidade gêmea" de Cartum sobre a outra margem do Nilo, segundo um comitê de médicos ligado ao movimento.


Publicidade