Publicidade

Estado de Minas

Cachorro comparece a julgamento como vítima de maus-tratos

"Campeão" seguiu as ordens do juiz da cidade de Atenas, na Costa Rica, e se comportou bem na sala do tribunal


postado em 22/07/2019 19:01 / atualizado em 22/07/2019 19:10

(foto: Ezequiel Becerra/AFP )
(foto: Ezequiel Becerra/AFP )
"Campeão", um cachorro dócil de dois anos e dois meses, se tornou nesta segunda-feira (22), na cidade costa-riquenha de Atenas, o primeiro animal na América Latina a assistir como vítima de maus-tratos ao julgamento de sua ex-dona.


O presidente do tribunal dessa cidade, situada a 35 km de San José, advertiu que não toleraria nenhum tipo de desordem. Campeão seguiu as ordens: com exceção de um pequeno latido, se comportou muito bem na sala do tribunal, que estava cheia de pessoas que foram apoiar a vítima.


Em novembro de 2017, o cãozinho ainda não se chamava Campeão. Tinha apenas seis meses e respondia pelo nome de Tyson quando foi amarrado com uma corda que afundou na carne de seu pescoço. Também estava desnutrido, magro e coberto de pulgas.


A presidente da Fundação Ateniense de Ajuda a Animais Abandonados, Dora Castro, detalhou nesta segunda-feira ao tribunal que foi alertada por um dos irmãos da dona, que lhe enviou um vídeo que mostrava como o cachorro era tratado.


Castro então pegou o animal e o levou a um veterinário, onde teve que receber atendimento durante cerca de 20 dias.


A benfeitora do Campeão apresentou uma queixa em janeiro de 2018, conforme a lei recentemente promulgada na Costa Rica que sanciona os maus-tratos contra animais com penas de até três anos de prisão.


O presidente do tribunal mencionou precedentes nos Estados Unidos e na Espanha para levar à justiça os donos de animais maltratados, mas o caso de Campeão é o primeiro na América Latina.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade