Publicidade

Estado de Minas

Pompeo reconhece avanços do México em redução da migração irregular


postado em 21/07/2019 19:14

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, reconheceu neste domingo "os avanços significativos" do México para frear a migração ilegal, afirmou a chancelaria mexicana em um comunicado.

Pompeo se reuniu neste domingo com o chanceler mexicano Marcelo Ebrard, no âmbito de uma viagem pela América Latina que incluiu escalas na Argentina e no Equador.

A viagem de Pompeo terminará em El Salvador, aonde o secretário de Estado chegou na tarde deste domingo. Ele tem previsto se reunir com o presidente Nayib Bukele para tratar o tema da migração irregular e assinar convênios.

Além da questão migratória, também foi abordado no México o tema do dinheiro do narcotraficante Joaquín "El Chapo" Guzmán, condenado na semana passada à prisão perpétua nos Estados Unidos, assim como o tráfico ilegal de armas americanas para o México.

O Departamento de Estado indicou que Pompeo e Ebrard abordaram, além da questão migratória, o acordo comercial entre Estados Unidos, México e Canadá e seu "compromisso conjunto para promover oportunidades e prosperidade econômica no sul do México".

O Departamento de Estado indicou em sua nota que Pompeo "agradeceu" a Ebrard pelos "maiores esforços do México" para frear a migração, pois "os indicadores iniciais sugerem que estão levando a uma redução do fluxo de migrantes ilegais que chegam à fronteira sul dos Estados Unidos".

A chancelaria mexicana foi além e disse que Pompeo "reconheceu os avanços significativos das operações mexicanas, em cumprimento ao acordo entre os dois países alcançado em 7 de junho em Washington D.C", afirmou a chancelaria.

"Em virtude de tais avanços", Ebrard "não considera necessário iniciar nenhum tipo de negociação com relação a um eventual acordo de Terceiro País Seguro entre México e Estados Unidos", acrescentou.

O conceito diplomático de Terceiro País Seguro significaria neste caso que o México receberia os solicitantes de refúgio aos Estados Unidos.

Na reunião com Pompeo, o chanceler mexicano "detalhou que a estratégia migratória para garantir fluxos ordenados, seguros e regulares continuará durante os próximos 45 dias".

O governo mobilizou em junho milhares de soldados e policiais em suas fronteiras, e aumentou as detenções e deportações de migrantes, principalmente famílias centro-americanas.

Pompeo e Ebrard abordaram, ainda, a condenação à prisão perpétua do narcotraficante mexicano Joaquín "El Chapo" Guszmán nos Estados Unidos.

No encontro "foi considerada a formação de um grupo binacional para recuperar os bens e ativos vinculados com Joaquín Archivaldo Guzmán Loera", indicou a chancelaria.

Após a sentença de "El Chapo", o presidente mexicano, o esquerdista Andrés Manuel López Obrador, disse que o dinheiro que foi obtido no México "tem que ser devolvido".

O governo americano busca requisitar mais de 12,6 bilhões de dólares.

Por outro lado, Ebrard reiterou ao governo dos Estados Unidos uma velha petição: a implementação de um operativo conjunto "para frear o tráfico ilegal de armas que entram" no México pelas cidades de San Diego (Califórnia), El Paso, McAllen e Brownsville (Texas).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade