Publicidade

Estado de Minas

Reunião diplomática analisa crise do acordo nuclear iraniano


postado em 28/06/2019 11:07

Irã, países europeus, China e Rússia examinam nesta sexta-feira em Viena suas margens de manobra para evitar o colapso do acordo sobre o programa nuclear iraniano, do qual os Estados Unidos se retiraram em 2018, em um contexto de crescente tensão entre Teerã e Washington.

Sob o patrocínio da União Europeia, uma reunião de representantes dos estados que ainda permanecem no acordo de 2015 (Alemanha, China, França, Reino Unido e Rússia) teve início com a presença do represente do Irã, o vice-ministro das Relações Exteriores, Abbas Araghchi.

Desde a sua retirada espetacular em maio de 2018 deste tratado - visando a garantir a natureza pacífica do programa nuclear iraniano -, a administração americana de Donald Trump está comprometida com uma estratégia de tensão máxima contra Teerã.

Tudo isso ocorre em um contexto de incidentes militares na região do Golfo, o que nos faz temer uma escalada militar.

Especialmente, após declarações na quarta-feira de Trump, que considerou a possibilidade de uma "guerra curta" contra o Irã, mas sem recorrer às forças terrestres.

No entanto, em sua chegada nesta sexta-feira no G20 em Osaka, Trump tentou enviar uma mensagem mais moderada, e garantiu que "não há pressa" para resolver as tensões entre os Estados Unidos e o Irã.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade