Publicidade

Estado de Minas

Reino Unido adota legislação sobre neutralidade de carbono até 2050


postado em 27/06/2019 07:19

O Reino Unido se tornou nesta quinta-feira a primeira grande economia do mundo a adotar por lei o novo objetivo de reduzir a zero as emissões líquidas de gases que provocam o efeito estufa até 2050, informou o governo.

O secretário de Estado britânico de Energia e Crescimento Limpo, Chris Skidmore, assinou a promulgação de uma legislação aprovada no início da semana pelas duas câmaras do Parlamento britânico.

Apresentado pelo governo da primeira-ministra Theresa May em 12 de junho, o objetivo foi introduzido nas leis existentes sobre mudança climática por meio de um mecanismo acelerado. O país revisou desta maneira a meta anterior de reduzir as emissões responsáveis pelo aquecimento global em 80% na comparação com 1990, ano geralmente tomado como referência.

"O Reino Unido iniciou a Revolução Industrial, que foi responsável pelo crescimento econômico em todo o mundo, mas também pelo aumento das emissões", disse Skidmore.

"Hoje lideramos de novo o mundo ao nos tornarmos a primeira grande economia a aprovar novas leis para reduzir a zero as emissões líquidas até o ano 2050, sem abandonar nosso compromisso com o crescimento da economia", completou.

O princípio da neutralidade de carbono implica que não serão emitidos mais gases do efeito estufa do que o que o país pode absorver, em particular graças a suas florestas e solos.

De acordo com a imprensa, o ministro das Finanças, Philip Hammond, advertiu que o novo objetivo pode custar mais de um trilhão de libras (1,3 trilhão de dólares).

No fim de abril, a Comissão sobre a Mudança Climática (CCC) da Grã-Bretanha recomendou em um relatório a redução em 100% das emissões até 2050, destacando que o objetivo exigiria medidas como o país ter apenas carros elétricos a partir de 2035 e quadruplicar a produção de energia elétrica limpa.

"Estamos abrindo o caminho para que outros países sigam nossos passos rumo à prosperidade, aproveitando as oportunidades econômicas de virar uma economia mais verde", disse Skidmore.

Outros países também estabeleceram a meta de neutralidade de carbono a médio e longo prazo - a Noruega tem como objetivo 2030 -, mas nenhum adotou a medida a nível legislativo até o momento.

A União Europeia (UE) se comprometeu a reduzir suas emissões em 40% até 2030, na comparação com o nível de 1990, mas o Parlamento Europeu solicitou o aumento da meta a 55%.

Em novembro, 10 países, entre eles Espanha e França, convidaram todos os líderes a estabelecer a neutralidade de carbono até 2050.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade