Publicidade

Estado de Minas

Enorme cabeça de lobo de 32.000 anos é encontrada na Sibéria


postado em 14/06/2019 11:31

Uma gigantesca cabeça de lobo de 32 mil anos de antiguidade, com o cérebro e os dentes intactos, foi descoberta na região russa da Sibéria - informou a Academia de Ciências local em um comunicado.

Coberta de pelagem e parecendo a cabeça de um mamute, ela foi encontrada por um habitante no verão passado em uma área de permafrost perto de um rio em Yakutia, no leste da Sibéria, relata o comunicado publicado na noite de quinta-feira (13).

Entregue à Academia de Ciências de Yakutia, paleontólogos russos e japoneses analisaram a peça e estabeleceram que se trata da cabeça de um lobo do Pleistoceno (Canis dirus), de 32.000 anos de idade.

Sua dimensão, 41,5 centímetros de comprimento, corresponde à metade do corpo de um lobo atual, que mede entre 66 e 86 centímetros, descreve o documento.

"Isso nos permitiu concluir que o lobo do Pleistoceno era gigantesco", acrescenta.

A cabeça contém "um cérebro intacto, e todos os seus dentes estão preservados", disse o comunicado, que considerou a descoberta "sensacional".

Os tecidos e a pele também estão intactos, de acordo com a mesma fonte.

"É a primeira vez que encontramos restos de um lobo do Pleistoceno com tecidos preservados", disse Albert Protopopov, da Academia de Ciências, citado no comunicado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade