Publicidade

Estado de Minas

Preço do petróleo dispara após ataques a navios-tanque no Golfo


postado em 13/06/2019 14:31

Os preços do petróleo se recuperavam nesta quinta-feira (13) após os ataques contra dois navios-tanque no Golfo, uma situação que reacende os temores de um conflito nesta região crucial para o mercado petroleiro.

Por volta das 10h30 de Brasília, o barril de Brent do Mar do Norte para entrega em agosto era negociado em alta de 2,28 dólares (+3,84%), a US$ 62,25. O barril do WTI para entrega em julho ganhava 1,86 dólar (+3,68%), a US$ 53.

Nesta quinta-feira, a Quinta Frota americana baseada no Bahrein indicou ter recebido dois pedidos de socorro cedo na manhã de navios-tanque no mar de Omã, afirmando que teriam sido alvo de um "ataque".

A autoridade marítima da Noruega informou, por sua vez, que ocorreram três explosões a bordo do petroleiro norueguês "Front Altair", que foi atacado juntamente com o "Kokuka Courageous", de propriedade de Singapura.

Este incidente constitui uma nova escalada nas tensões regionais, quase um mês depois dos ataques contra quatro navios, entre eles três petroleiros, em frente às costas dos Emirados Árabes Unidos, ato pelo qual Washington acusou o Irã.

As tensões entre a Arábia Saudita, primeiro exportador mundial, e o Irã, outro peso-pesado do petróleo, sempre mantêm o mercado nervoso, temendo uma possível perturbação da oferta.

"É preciso lembrar que é a região do estreito de Ormuz", avenida do tráfego petroleiro mundial em frente ao Irã, essencial para as exportações sauditas, destaca Tamas Varga, analista no PVM.

O incidente provocou na ocasião uma alta nos preços do petróleo, depois de o Brent terminar a sessão de quarta-feira abaixo dos 60 dólares (US$ 69,97) pela primeira vez desde o fim de janeiro.

O WTI também fechou com seu preço mais baixo em cinco meses, a 51,14 dólares.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade