Publicidade

Estado de Minas

Centenas de opositores são presos durante eleições no Cazaquistão


postado em 09/06/2019 13:28

Cerca de 500 manifestantes da oposição foram presos neste domingo (9) no Cazaquistão, enquanto votavam em uma eleição presidencial sem precedentes, a primeira na história desta antiga república soviética da Ásia Central sem a participação de Nursultan Nazarbayev.

Após 30 anos no poder, Nazarbayev renunciou em março.

"Cerca de 500 pessoas foram transferidas para delegacias de polícia nas cidades de Nur-Sultan e Almaty", disse o vice-ministro do Interior, Marat Kozhayev.

Estas eleições foram marcadas pelas manifestações mais significativas registradas em três anos no país.

Um dos correspondentes da AFP chegou a ser detido, mas foi imediatamente libertado, enquanto outro teve seu equipamento de vídeo apreendido.

Dois jornalistas da Rádio Free Europe/Rádio Liberty - Petr Trotsenko, em Almaty, e Saniya Toiken, em Nur-Sultan - também foram presos e soltos na sequência, junto com Marius Fossum, do Comitê de Helsinque, a organização norueguesa de direitos humanos.

O opositor mais violento, o ex-banqueiro Mujtar Ablyazov, atualmente exilado, convocou protestos por todo país neste domingo.

- Primeira mulher candidata -

A ausência de Nazarbayev não significa que a eleição esteja cercada de incertezas. O sucessor designado e presidente interino, Kasym-Jomart Tokayev, quase garantiu a vitória, já que ele conta com o apoio do partido no poder e do ex-presidente, o qual mantém um papel fundamental no sistema político.

Nas eleições de 2015, Nazarbayev teve nada menos do que 98% dos votos.

O chefe da campanha de Tokayev, Maulen Achimbayev, disse que o candidato "receberá o apoio da maioria da população, mas esperar pelo número de Nursultan Nazarbayev seria inadequado".

A oposição participa do pleito com seis candidatos praticamente desconhecidos, mesmo que três deles tenham participado de um debate transmitido ao vivo pela televisão - o primeiro da história do país.

A eleição também marcará a primeira vez que uma mulher participa como candidata à presidência, com Daniya Yespayeva, que representa um pequena parte próxima ao governo.

O único adversário sério para Tokayev é o jornalista Amirzhan Kossanov, embora sua campanha tenha terminado fortemente criticada por todos os lados por ter evitado criticar Nazarbayev.

Já Tokayev se beneficia do apoio aberto do aparato estatal e das inúmeras celebridades que sempre aparecem ao seu lado.

Kassymhan Kapparov, diretor de um instituto de pesquisa local, o Escritório de Pesquisa Econômica do Cazaquistão, disse que o governo determinou que "todos os trabalhadores do setor público, médicos, professores e militantes que fazem campanha por Tokayev sejam pagos pelo orçamento do Estado".

"Não acho que podemos considerar estas eleições legítimas", disse Kapparov.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade