Publicidade

Estado de Minas

China ameaça empresas tecnológicas após veto dos EUA à Huawei


postado em 09/06/2019 10:31

O governo da China reuniu representantes das grandes empresas do setor tecnológico e as advertiu de que sofrerão consequências se interromperem suas vendas para o país - informou a imprensa americana no sábado (8).

A reunião aconteceu depois de o presidente Donald Trump colocar o gigante chinês das telecomunicações Huawei em uma lista negra que a impede de ter acesso ao mercado americano.

A decisão de Trump se baseou em razões de segurança nacional e de ameaça dos negócios da Huawei a Washington, acusando a empresa de fazer espionagem para Pequim.

Na última semana, o governo chinês reuniu executivos das companhias americanas Dell e Microsoft e da sul-coreana Samsung, entre outros, para adverti-los de que qualquer redução de suas operações na China vai gerar represálias, relatou o jornal "The New York Times".

Às empresas americanas foi dito que "a determinação de Trump de privar as companhias chinesas de tecnologia americana afetou a cadeia mundial de fornecimento e que as empresas que seguirem essa política podem enfrentar consequências permanentes", acrescentou o NYT.

Já às empresas com sede fora dos Estados Unidos foi dito que não serão penalizadas, desde que mantenham seus negócios normalmente, ainda de acordo com o jornal.

Na sexta-feira, o Facebook anunciou que deixará de pré-instalar seus aplicativos em aparelhos da Huawei com o objetivo de cumprir as normas americanas. Maior rede social do planeta, o Facebook isolou ainda mais a Huawei, segundo maior fabricante mundial de smartphones. No mês passado, o Google já havia feito um anúncio similar.


Publicidade