Publicidade

Estado de Minas

Trump diz que progresso na negociação com México 'não é suficiente'


postado em 05/06/2019 21:01

Donald Trump declarou nesta quarta-feira que ocorreram avanços na negociação com o México, mas tal progresso não é suficiente, e destacou o alto número de imigrantes detidos na fronteira, em um momento em que Washington ameaça aplicar tarifas ao vizinho para tentar deter o fluxo migratório.

"O diálogo migratório na Casa Branca com os representantes do México terminou hoje. Houve avanços, mas não o suficiente. As detenções na fronteira em maio atingiram 133.000 devido ao fato de que o México e os democratas no Congresso se negam a conceder o orçamento para uma reforma da imigração", escreveu Trump no Twitter.

Segundo o presidente, a negociação prosseguirá nesta quinta-feira - entre o vice-presidente Mike Pence e o chanceler mexicano, Marcelo Ebrard - sob a premissa de que "se não houver acordo, o aumento de 5% nas tarifas começará a ser aplicado na segunda-feira, com um aumento mensal seguindo um calendário".

Ebrard declarou que seu país reconhece a dificuldade da situação na fronteira com os Estados Unidos, onde nos últimos meses chegaram milhares de emigrantes.

"O ponto de partida é que as duas partes reconhecem que a situação atual não pode permanecer como está", disse Ebrard aos jornalistas ao final da reunião.

"Analisamos os relatórios e os números e, efetivamente, os fluxos (de emigrantes) estão crescendo muito", disse Ebrard.

Nesta quarta-feira, Pence publicou um gráfico do Bureau de Alfândegas e Proteção da Fronteira (CBP em inglês) que revela que o número de imigrantes ilegais em maio triplicou em relação ao mesmo mês de 2018.

A patrulha de fronteira informou que o ritmo de chegada de imigrantes ilegais - 677.000 desde outubro - é o mais alto desde 2006.

"O presidente já deixou claro que o México precisa fazer mais", disse Pence, que se reuniu na Casa Branca com Ebrard, o secretário americano de Estado, Mike Pompeo, e o secretário de Segurança Interna, Kevin McAleenan.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade