Publicidade

Estado de Minas

Kim Jong Un critica o mais recente espetáculo de massas na Coreia do Norte


postado em 04/06/2019 06:13

Dezenas de milhares participaram na segunda-feira à noite na estreia do primeiro espetáculo de massas do ano na Coreia do Norte, uma grande produção em homenagem ao regime, mas que não agradou o líder Kim Jong Un.

O evento conhecido como "Jogos de Massa", típico do regime norte-coreano, tem a participação de um exército de figurantes, principalmente estudantes, que fazem coreografias elaboradas.

Em segundo plano, espalhados em um setor das arquibancadas do estádio Primeiro de Maio de Pyongyang, milhares de crianças exibem cartazes de diversas cores para criar mosaicos impressionantes.

Mas o novo espetáculo de propaganda, com o título "A terra do povo", não conquistou Kim Jong Un.

Após a apresentação, ele "chamou os criadores do espetáculo e fez críticas ao espírito equivocado da produção e por sua atitude de trabalho irresponsável", informou a agência oficial norte-coreana KCNA.

Recordando que os artistas "têm um papel muito importante na construção cultural do socialismo", Kim "determinou tarefas importantes para aplicar corretamente a política revolucionária do Partido nos âmbitos da literatura e da arte", completou a agência.

Não foi divulgado o que provocou a irritação de Kim, que compareceu ao estádio ao lado da esposa Ri Sol Ju e da irmã e conselheira Kim Yo Jong.

Entre os demais dirigentes do regime também estava presentes, de acordo com a agência, Kim Yong Chol, que foi a contraparte do secretário de Estado americano Mike Pompeo durante as negociações nucleares com Washington. As conversações permanecem estagnadas desde o fracasso, em fevereiro, da segunda reunião entre Kim Jong Un e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

O jornal sul-coreano Chosun Ilbo informou na semana passada que Kim Yong Chol havia sido enviado a um campo de trabalho após o fracasso diplomático. Esta foi sua segunda aparição pública ao lado de Kim Jong Un desde então.

Os espetáculos de massa exigem meses de ensaios e as agências de viagem anunciavam que "A terra do povoo" seria apresentado durante cinco meses, até outubro. Mas após as críticas de Kim Jong Un não foi possível saber o que acontecerá com a atração.


Publicidade