Publicidade

Estado de Minas

Brasil suspende venda de carne à China por caso 'atípico' de vaca louca


postado em 03/06/2019 20:14

O governo brasileiro anunciou nesta segunda-feira a suspensão de suas exportações de carne bovina para a China após a identificação de um caso "atípico" de vaca louca no estado do Mato Grosso.

"O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil suspendeu temporariamente a emissão de certificados sanitários até que a autoridade chinesa conclua sua avaliação das informações já transmitidas sobre o episódio, cumprindo-se, assim, o disposto no protocolo bilateral assinado em 2015".

"Trata-se de uma vaca de corte com idade de 17 anos" com um caso "atípico" de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB) produzida de "forma espontânea e esporádica, sem relação com a ingestão de alimentos contaminados".

"Todo o material de risco específico para EEB foi removido do animal durante o abate de emergência e incinerado no próprio matadouro. Outros produtos derivados do animal foram identificados, localizados e apreendidos preventivamente, não havendo ingresso de nenhum produto na cadeia alimentar humana ou de ruminantes. Não há, portanto, risco para a população", destaca o ministério.

"Examinada a notificação da ocorrência pela Organização Internacional de Saúde Animal (OIE), este órgão determinou hoje (3) o encerramento do caso sem alteração do status sanitário brasileiro, que segue como risco insignificante para a doença".

As exportações de carne bovina brasileira para a China nos primeiros quatro meses do ano somaram 442,3 milhões de dólares, 26% do total, uma alta de 16,12% sobre o mesmo período do ano passado, segundo dados do ministério da Economia.

O anúncio da suspensão das exportações provocou importantes quedas nos papéis dos grandes frigoríficos brasileiros: Marfrig perdeu 4,25%, JBS, 2,93%, e Minerva, 2,80%.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade