Publicidade

Estado de Minas

Justiça colombiana liberta ex-líder das Farc que tem pedido de extradição para os EUA


postado em 29/05/2019 17:51

A Suprema Corte de Justiça da Colômbia ordenou nesta quarta-feira (29) a "liberdade imediata" de um ex-líder das Farc, que tem pedido de extradição emitido pelos Estados Unidos por acusação de narcotráfico, ao reconhecer sua condição de congressista eleito pelo partido criado pelo acordo de paz com o ex-grupo guerrilheiro.

O tribunal emitiu a medida a favor de Jesús Santrich - detido em Bogotá desde abril de 2018 - e assumiu a responsabilidade de investigá-lo por conta do foro parlamentar, apesar dele nunca ter assumido o cargo no Congresso devido a sua captura para extradição.

Neste caso "não procede nenhum recurso", garantiram os magistrados, o que determina que Santrich deve deixar a prisão em breve.

O tribunal que investiga os piores crimes cometidos durante o conflito com as Farc já havia ordenado a libertação de Santrich.

Apesar disso, no dia 17 de maio foi recapturado quando deixava a prisão por ordem de um magistrado devido a novas acusações em relação a seu suposto envolvimento com o tráfico de cocaína para os Estados Unidos após a assinatura do acordo de paz em novembro de 2016.

Santrich, de 52 anos, sempre afirmou que era inocente e que todas as acusações eram parte de um complô elaborado por Washington e a procuradoria colombiana.

Sob pressão dos Estados Unidos, o governo do presidente Iván Duque é contrário a concessão de liberdade a Santrich e ratificou a intenção de extraditá-lo.

Por conta da primeira ordem de liberdade, o então procurador-geral da Colômbia, Néstor Humberto Martínez, abandonou o cargo antes de ter que acatar a decisão dos juízes.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade