Publicidade

Estado de Minas

Cubanos poderão ter wi-fi em casa, captado de antenas públicas


postado em 29/05/2019 17:19

Cuba permitirá que seus cidadãos importem tecnologia que lhes permita capturar o sinal estatal de wi-fi, emitido de praças e parques, e levá-lo para suas casas, em um país onde a conexão é restrita e a maior parte da população não tem internet em casa.

A lei, publicada nesta quarta-feira (29) no Diário Oficial e que entrará em vigor em dois meses, habilita os cidadãos a trazer do exterior aparelhos conhecidos como "Nanostation", que replicam sinais de wi-fi, bem como roteadores, para poder instalá-los em suas casas - desde que não tenha finalidade de lucro.

"Aqueles que desejarem importar equipamentos para o país precisam de autorização prévia do Ministério (das Comunicações) por meio de um pedido de autorização técnica", disse Wilfredo López, diretor de regulamentação do Ministério das Comunicações, à imprensa estatal.

Através do "nano", o usuário capta de casa o sinal que o monopólio estatal Etecsa emite em prédios, parques e praças públicas próximas, onde os cidadãos geralmente navegam na web.

Com o sinal em casa, o usuário pode proceder normalmente, entrando na internet através de uma conta pré-paga com nome de usuário e senha, ou através de um cartão com senha, a um custo equivalente a 1 dólar por hora.

A maioria dos cubanos não tem acesso direto à internet em suas casas. A capacidade de capturar o sinal Wi-Fi do estado dependerá da geografia e localização da casa.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade