Publicidade

Estado de Minas

Governo do Amazonas pede transferência de nove presos após massacre em Manaus


postado em 28/05/2019 10:07

Nove detentos que teriam ordenado uma série de mortes em quatro cadeias de Manaus devem ser transferidos para presídios federais esta semana - informou o governo do estado.

Os nomes dos presos não foram divulgados, e a lista de transferência pode aumentar, no decorrer da investigação do massacre que deixou, entre domingo e segunda-feira, 55 mortos, a maioria por asfixia.

Esta madrugada, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, informou que vagas seriam disponibilizadas em presídios federais para os mandantes dos ataques.

Ele também confirmou o envio de tropas da Força Tarefa de Intervenção Penitenciária para reforçar a segurança nos presídios do estado do Amazonas.

O governador amazonense, Wilson Lima, disse esta manhã à imprensa que espera a chegada de 20 efetivos ao longo do dia, e de outros 80 até o final de semana.

Na segunda, 40 detentos morreram. No Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), a 28 km de Manaus, ocorreram 25 mortes e, no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), outros quatro detentos foram executados.

Na Unidade de Prisões de Puraquequara (UPP), morreram 6 detentos, e outros cinco, no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM 1).

No domingo, 15 detentos morreram no Compaj, durante o horário de visitas. A mesma prisão foi palco em janeiro de 2017 de uma rebelião sangrenta que durou 20 horas e deixou 56 mortos, um dos piores massacres já registrados em presídios brasileiros.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade