Publicidade

Estado de Minas

Comédia palestina denuncia 'estado de emergência' mundial em Cannes


postado em 24/05/2019 17:43

O diretor palestino Elia Suleiman recorre ao humor para denunciar o estado de emergência mundial, em seu filme apresentado nesta sexta-feira (24) em Cannes, "It must be heaven", que conta com uma breve aparição do ator mexicano Gael García Bernal.

O cineasta, de 58 anos, volta pela terceira vez à competição do Festival de Cannes, onde em 2002 obteve o Prêmio do Júri por "Intervenção divina", uma história de amor entre um palestino de Jerusalém e uma mulher que vive em Ramallah.

Em "It must be heaven", a única comédia na competição pela Palma de Ouro, ele se coloca na frente da câmera para interpretar seu próprio personagem e percorrer Nazaré, na Cisjordânia, Paris e Nova York.

O "Buster Keaton palestino" divide o filme em três partes, com imagens como se fossem cartões postais dessas três cidades. Ri das medidas de segurança excessivas e da atuação da polícia que, por exemplo, se dedica a verificar se as mesas dos bares nas calçadas deixam espaço suficiente para os pedestres em Paris ou se desloca em grupo para neutralizar uma inofensiva ativista palestina no Central Park.

"É uma crítica à situação mundial em que vivemos", disse à AFP Suleiman. "Está a polícia, a violência. Vivemos uma guerra não declarada", acrescentou o diretor.

García Bernal aparece no filme em Nova York, tentando ajudar o cineasta a obter o apoio de uma produtora americana para realizar um longa-metragem. Mas o projeto de um filme palestino não suscita o menor interesse nas pessoas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade